DESTAQUES

Desafio UCDB

Desafio UCDB

Conheça nossos cursos!

Novidades

Estudar à noite pode ser uma ótima opção! Confira os benefícios

A entrada na Universidade marca um novo tempo na vida de qualquer pessoa, afinal, começa a construção de uma carreira. Para aproveitar esse momento, é preciso analisar alguns fatores que podem determinar o sucesso ou o fracasso do aprendizado. Nesse caso, é algo a ser considerado.

A escolha do turno também pode ser valiosa para conquistar objetivos profissionais e ter produtividade nos estudos. Por esse motivo, ela precisa ser tomada após analisar as perdas e ganhos em ambos os períodos. Mas saiba que estudar à noite é uma opção com uma série de benefícios!

Neste post, explicaremos melhor quais são essas vantagens do estudo noturno e, ao final, tem um bônus para ajudar nesse processo. Vamos lá?

Descubra as vantagens de estudar à noite

É preciso ter cautela na hora de decidir o horário de cursar a graduação, pois são anos de estudos. Quando feita de maneira errada, a escolha pode comprometer seus planos atuais e futuros porque trocar de turno no meio do curso também interfere na aprendizagem. Para ajudá-lo nessa escolha, separamos algumas vantagens de estudar no período da noite. Vamos conferir?

Proporciona mais tranquilidade

Geralmente o dia costuma ser mais agitado. Estudar à noite permite lidar com menor poluição sonora, para quem pretende estudar em casa como também em cursos presenciais. É uma questão de opção.

Para muitos, a noite acaba proporcionando certa tranquilidade por não haver tantas interrupções já que maior número de pessoas não está na ativa. Ainda se permite a sensação de bom aproveitamento do seu tempo útil, o que favorece o rendimento e a autoestima.

Aumenta a concentração

Para muitos, a concentração é bem favorecida à noite, quando se permite ao cérebro se desligar do “estado de alerta”, como geralmente acontece durante o dia, quando a rotina exige atenção a muitos focos ao mesmo tempo, o que acaba comprometendo a concentração em um único foco.

Estimula a criatividade

Sem ter que focar, como durante o dia, nos muitos compromissos, que muitas vezes requerem solução imediata, uma rotina de estudos à noite permite estabelecer um planejamento para seguir.

E mais descompromissado, você libera a criatividade permitindo estimular seu desempenho e rendimento acadêmico, processando melhor os conteúdos para organizar seu aprendizado. Sem interrupções, atividades práticas como pesquisas, redação, cálculos acabam sendo favorecidos de modo a melhorar a qualificação profissional.

Permite conciliar estudo e trabalho

Muitos alunos ingressam na Universidade já atuando no mercado de trabalho, já que concentrar os estudos no período noturno permite conciliar essa rotina. Além disso, ter disponibilidade durante o dia também pode fazer toda a diferença para conseguir novas oportunidades de emprego ou estágio.

Isso porque, tanto a maioria das entrevistas quanto as vagas oferecidas pelas empresas são realizadas durante o dia, em horário comercial. Vale lembrar que o estágio é uma etapa essencial para colocar em prática o conhecimento obtido e ganhar experiência.

Possibilita ampliar o networking

Os alunos adeptos ao aprendizado noturno tendem a ser mais maduros em comparação aos diurnos, inclusive, alguns já estão inseridos ou atuam próximo da área de graduação. Por exemplo, você pode encontrar uma secretária de advocacia que estuda Direito ou uma recepcionista de hospital estudante de Enfermagem. Isso é ótimo para aumentar a rede de contatos específicos de sua área.

Assim, além de conhecer de perto a profissão que pretende atuar, por meio da troca de aprendizado com as situações do dia a dia, você ganha a oportunidade de criar laços capazes de abrir portas de estágio ou emprego.

Veja três dicas para obter o melhor rendimento

Se você chegou até aqui, é sinal de que tem interesse em concentrar os estudos à noite, verdade? Por isso, separamos este bônus para ajudar com sua rotina noturna. Agora, você precisa adotar hábitos responsáveis por estimular o cérebro e facilitar a aprendizagem. Acompanhe quais são.

1. Mantenha uma rotina de estudos

Manter a frequência de estudos ajuda a aproveitar melhor o tempo e garantir o cumprimento das tarefas. Portanto crie um cronograma de metas de aprendizagem, de modo que os objetivos sejam divididos em pequenos alvos a serem alcançados. Com isso, você desenvolve novos comportamentos para tornar essa prática uma rotina.

Alguns aplicativos podem ajudar com a organização e lembretes diários, como:

  • Trello;
  • Todoist;
  • Evernote;
  • EasilyDo.

2. Durma bem

Sabe todas as vantagens listadas sobre estudar à noite? De nada adiantam se você não tiver uma boa noite de sono. Além de o cérebro precisar reduzir as atividades neurais para reter a memória depois do aprendizado, dormir bem estimula essa conexão, construindo novas memórias e consolidando informações que podem ter passado despercebidas.

Por isso, esqueça essa ideia de tomar cafeína ou outros estimulantes que cortam o sono. Seu corpo precisa dele para absorver o conhecimento e se preparar para o dia seguinte. Então, se o pensamento estiver acelerado, você pode tentar:

  • desligar a TV;
  • escurecer o ambiente;
  • usar protetor de ouvidos;
  • concentrar-se em sua respiração.

3. Tenha equilíbrio entre lazer e estudo

Sabemos a importância de focar nos estudos, porém o lazer e bem-estar não podem ser deixados de lado. É preciso encontrar um equilíbrio entre eles, caso contrário, o excesso de cansaço físico e mental vai comprometer o desenvolvimento da aprendizagem.

Separe um tempo para os hobbies, sair com amigos e ficar com a família. Fazer atividades físicas com frequência também ajuda a vencer o cansaço e transformar a rotina de estudos em uma prática prazerosa.

A verdade é que não existe o melhor horário de estudar, pois, tanto o período diurno quanto o noturno têm seus benefícios. O importante é analisar seus objetivos atuais e futuros na hora da escolha e considerar o tempo da graduação. Assim, você vai analisar os prós e contras de estudar à noite ou durante o dia e conseguirá escolher aquele que atende as suas expectativas.

O que achou das nossas dicas? Percebe a importância de conhecer o mercado e sua vocação na escolha do curso? Então, siga-nos nas redes sociais e receba mais conteúdos como este. Estamos no Facebook, Twitter, YouTube e Instagram!

Licenciatura ou bacharelado: qual curso fazer em Educação Física?

Muitos vestibulandos decidem fazer o curso de Educação Física movidos pela oportunidade de unir o útil ao agradável. Afinal, vão poder estudar e, futuramente, trabalhar com algo do interesse deles e que realmente gostam de fazer: praticar diferentes atividades físicas e esportivas. Porém, ao pesquisar mais sobre a graduação, eles se deparam com uma decisão nada fácil: escolher entre licenciatura ou bacharelado.

Isso porque a formação é oferecida nessas duas modalidades, e os alunos devem optar por uma justamente no momento de se matricular na universidade. Pensando nesse dilema pelo qual você também pode estar passando neste momento, preparamos este conteúdo com o objetivo de destrinchar as diferenças de cada alternativa e, de quebra, ainda apresentar as áreas e locais de atuação que os recém-formados podem seguir. Acompanhe!

Licenciatura ou bacharelado: conheça cada modalidade

Tanto a licenciatura quanto o bacharelado têm a mesma duração, quatro anos. Além disso, os dois contam com disciplinas similares em ambas as grades curriculares que tratam sobre aspectos da fisiologia, promoção da saúde por meio da atividade física e diferentes modalidades esportivas, como:

  • Aprendizagem e controle motor;
  • Corpo humano;
  • Anatomia do sistema locomotor;
  • Fundamentos do atletismo.
  • Fundamentos de esportes paralímpicos

Porém a proposta de cada formação é bem distinta uma da outra — e é justamente sobre isso que vamos falar agora. Fique atento e conheça não só essas diferenças, mas também quais as áreas de atuação e as perspectivas de mercado para ambas as modalidades. Lembrando que o acadêmico que optar por uma das graduações (licenciatura ou bacharelado) pode, depois de concluído o curso, fazer mais dois semestres complementares e sair com as duas habilitações.

Bacharelado em Educação Física

O bacharelado em Educação Física prepara o aluno desde o início para conhecer as possibilidades de atuação que pode exercer ao se formar. Por isso, tem uma abordagem mais generalista. Assim, você aprende sobre o máximo delas e desenvolve as habilidades necessárias para desempenhar uma ou mais funções profissionalmente.

Além disso, ele conta com matérias que fornecem saber teórico e prático sobre o campo da saúde e como atingir resultados para o corpo e a mente em diferentes públicos, indo desde aspectos anatômicos e nutricionais até desenvolvimento humano em cada faixa etária. Veja algumas das principais:

  • Nutrição esportiva;
  • Ginástica laboral e ergonomia;
  • Saúde mental;
  • Treinamento de esportes individuais;
  • Fisiologia do esforço e performance esportiva;
  • Atividade física e envelhecimento;
  • Atividade física para populações especiais.

Área de atuação

O campo para profissional de educação física são bem diversos, pois ele é capaz de assumir diferentes segmentos no mercado de trabalho. Há quem atue, por exemplo, como avaliador físico, personal trainer, preparador físico para competições de alta performance, treinador funcional e recreador esportivo.

Muitos formados na área também optam por se dedicar a campos bem promissores que vêm ganhando destaque pelo retorno financeiro e a alta empregabilidade. Isso, estamos falando do turismo esportivo — viagens para a prática de modalidades desportivas — e a reabilitação física — de idosos, deficientes e pessoas em tratamento de saúde com dificuldade motora parcial ou total.

Onde pode trabalhar

O profissional de educação física conta com uma boa cartela de espaços onde pode trabalhar. Afinal, ele pode desempenhar várias atividades — inclusive, simultaneamente. Portanto é possível encontrá-lo em academias, centros recreativos, clubes, spas, centro de treinamento olímpico e profissional, hospitais, clínicas, empresas, entre outros.

Licenciatura em Educação Física

A licenciatura em Educação Física, por sua vez, prepara o estudante universitário para se tornar um futuro professor no ambiente escolar, sendo apto a lecionar tanto para crianças quanto para adolescentes. É por isso que durante o curso há disciplinas específicas que o capacitam a transmitir conhecimento, realizar atividades educacionais, desenvolver projetos recreativos e prestar acompanhamento pedagógico aos alunos. Entre elas, podemos citar:

  • Educação Física infantil;
  • Diversidade e inclusão: Libras;
  • Formação docente: Didática da Educação Física.

Área de atuação

Além de atuar como professor dentro dos colégios, você também pode ocupar outros cargos e, com isso, realizar atividades diferentes. Alguns exemplos são: coordenador do departamento de Educação Física, conselheiro esportivo, treinador de uma ou mais modalidades esportivas e técnico de seleção escolar.

Onde pode trabalhar

O licenciado em Educação Física pode trabalhar em escolas públicas e particulares. No primeiro caso, é comum ocorrerem concursos públicos realizados pelo município e Estado. Ainda é possível que o profissional opte por permanecer no ambiente acadêmico como docente universitário, contribuindo, dessa maneira, para a formação de novos profissionais.

Como fazer a escolha pelo curso ideal

Depois de falarmos sobre as distinções entre licenciatura e bacharelado em Educação Física, não podemos deixar de trazer algumas dicas especiais para você escolher um curso realmente bom. Ou seja, que estimule o aprendizado científico e a construção do saber, qualificando-o para o mercado de trabalho e trazendo inovações do ramo. Confira.

Estrutura da universidade e curso

É sempre importante pesquisar sobre a estrutura oferecida pela universidade de acordo com o curso desejado. Assim, você consegue saber se há laboratórios, como o de avaliação física, anatomia e cinesiologia e biomecânica do movimento humano, além de academia e parque desportivo com quadras, pistas, ginásio poliesportivo, piscina, sala de musculação e de dança.

Qualidade do corpo docente

Informe-se sobre o corpo docente e veja quais são as experiências profissionais que eles tiveram, ênfase de formação, eventos de que participaram, em quantas bancas examinadoras foram orientadores ou professores convidados, assim como produções científicas já realizadas.

Referência da instituição

Confira o histórico da universidade para checar seu renome no mercado, como é a qualidade de ensino oferecida e a avaliação recebida do MEC. Veja também as atividades de pesquisa e extensão realizadas, ações praticadas junto à comunidade e eventos acadêmicos que promove. A Universidade Católica Dom Bosco é referência na área e oferece as duas habilitações nos períodos matutito e noturno. #VemserUCDB.

Agora que você sabe as diferenças entre as duas modalidades da graduação em Educação Física, será bem mais fácil se decidir entre licenciatura ou bacharelado, não é mesmo? Apenas se lembre de fazer uma autoavaliação para identificar a sua vocação profissional, quais atividades quer desempenhar depois de formado e, em especial, o tipo de carreira. Inclusive, não deixe de seguir nossas dicas para escolher a melhor opção de curso.

E se gostou do nosso post, aproveite para seguir a gente no Facebook, Twitter, YouTube e Instagram. Nessas redes não faltam conteúdos sobre a vida universitária!

Cursos na área da saúde: 7 opções promissoras além de medicina

Quando se pensa em cursos na área da saúde, é bem provável que a primeira imagem que vem a sua cabeça seja medicina, não é verdade? No entanto existem alternativas tão favoráveis ou mais na questão de empregabilidade.

Ao escolher sua carreira, é preciso pesar os prós e os contras de cada profissão, sendo que o setor do conhecimento médico dispõe de uma infinidade de competências que servirão para gerar uma sociedade mais saudável, tanto em relação ao corpo quanto à mente.

Caso não tenha a pretensão de disputar uma vaga em medicina e queira abrir o leque de opções na área da saúde, trouxemos 7 dicas de cursos que podem proporcionar uma ótima trajetória profissional. Confira!

1. Biomedicina

Se você tem a pretensão de estudar mais a fundo sobre o funcionamento do corpo humano, os tipos de doenças, as causas de cada enfermidade e as formas mais eficazes de tratá-las, então o curso de Biomedicina é ideal para os seus objetivos. Nos quatro anos de graduação, terá a chance de aprender a respeito de imunologia, toxicologia, biofísica, cosmetologia, análise forense e demais especialidades.

Por terem um perfil generalista, os biomédicos podem atuar em diversos campos, tais como laboratórios de pesquisa, hospitais, laboratórios clínicos, empresas de consultoria, perícia criminal, entre outros setores que careçam de suas competências. De maneira geral, os profissionais dessa área atuam na promoção, prevenção e reabilitação da saúde humana — fomentando as descobertas científicas.

2. Ciências Biológicas

A pessoa que nutre a curiosidade de conhecer detalhes sobre o meio ambiente, a fauna, a flora e a evolução do conhecimento científico pode muito bem investir em um curso de Ciências Biológicas, seja no bacharelado, seja na licenciatura. No período da graduação, você terá a incrível oportunidade de visualizar de perto todos aqueles conceitos que eram superficiais no ensino médio.

Você estudará sobre genética, paleontologia, evolução das espécies, bioestatística, anatomia e, no caso da licenciatura, verá aulas a respeito de fundamentos da educação, linguagens, diversidade e inclusão. É possível trabalhar em laboratórios de pesquisa científica, perícias ambientais, vigilância sanitária ou, se a sua vocação profissional é a área educacional, dar aulas e desenvolver materiais didáticos.

3. Enfermagem

Para ingressar em uma graduação em Enfermagem é preciso gostar muito de pessoas, além de ter aptidão para lidar com assuntos que envolvem liderança de equipes e gestão do centro de saúde. Os profissionais dessa área adquirem competências indispensáveis para assumir o compromisso com as necessidades sociais, prezando sempre pelo atendimento humanizado.

Com relação às disciplinas, você aprenderá mais sobre o corpo humano, as doenças transmissíveis, as políticas públicas, os fundamentos de saúde, os primeiros socorros e demais temas inerentes ao conhecimento de Enfermagem. Os graduados podem atuar na rede básica de saúde, hospitais gerais, clínicas especializadas, atendimento domiciliar e demais setores que necessitem de suas habilidades.

4. Farmácia

Assim como o curso de Enfermagem, a graduação o em Farmácia também é realizada em cinco anos e disciplinas cobradas envolvem assuntos como bioquímica, controle de qualidade microbiológico, cuidados farmacêuticos, planejamento racional de fármacos etc. Um profissional que envereda para esse setor de conhecimento tem a destreza de lidar com as mais variadas situações que envolvem os medicamentos.

Suas aptidões serão essenciais para a pesquisa, produção, manipulação, armazenamento, controle de qualidade e, principalmente, pesquisas científicas que contribuem com o dia a dia da sociedade. Ao se formar nesse curso na área da saúde, você pode atuar na direção técnica de serviços de farmácia de clínicas, hospitais, drogarias e demais ambientes profissionais.

5. Fisioterapia

Uma das áreas mais requisitadas e que dispõe de uma gama de oportunidades de trabalho, tendo em vista que os fisioterapeutas contribuem com o estudo, diagnóstico, tratamento e prevenção dos diversos distúrbios funcionais do corpo humano. É necessário que os profissionais dessa área tenham um vasto interesse em lidar com pessoas e queiram se aprimorar nos conceitos de recuperação das potencialidades.

Nos cinco anos de curso você terá o conhecimento aplicado em biomecânica, neurociência, prótese e órtese, recursos terapêuticos e, inclusive, saúde do trabalhador, o que será de muita utilidade para conscientizar empresas sobre a importância de seguir as recomendações de ergonomia. Os setores mais procurados costumam ser os esportivos, ortopédicos, traumatológicos, neurológicos e cardiorrespiratórios.

6. Nutrição

Levando em consideração que a sociedade cultua cada vez mais a beleza dos corpos e se preocupa com o prolongamento da vida, a área de Nutrição se torna peça-chave para promover a saúde por meio da ingestão consciente dos alimentos e, com isso, prevenir doenças. O profissional devidamente registrado no Conselho Regional de Nutrição pode atuar em hospitais, clínicas, indústrias, academias, clubes etc.

Durante os quatro anos de curso, você terá a chance de aprender sobre avaliação nutricional, planejamento dietético, patologia básica, gastronomia, marketing de alimentos, entre outros assuntos. Na Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), por exemplo, os alunos dispõem de ótimos recursos, tal como o aprendizado em clínica e em laboratórios em que são desenvolvidas atividades integralizadoras para reforçar os conhecimentos.

7. Psicologia

Caso você tenha um enorme gosto pela leitura, queira estudar de fato, disponha da facilidade de se colocar no lugar do outro e demonstre simpatia em relação ao poder de ouvir as pessoas, a graduação de Psicologia é a melhor dentre os cursos na área da saúde. Você terá a capacidade de diagnosticar, tratar e prevenir quaisquer transtornos que possam interferir na esfera psicossocial.

A subjetividade do funcionamento da mente e o comportamento humano em suas mais variadas nuances fazem com que os psicólogos sejam gabaritados para lidar com situações que mexam com fatores biológicos, cognitivos, afetivos e sociais. É possível atuar em clínicas, escolas, clubes esportivos, organizações não governamentais e, ainda, prestar auxílio para a área jurídica, hospitalar e de trânsito.

Por fim, ao escolher o que mais tem a ver com as suas ambições na vida profissional, considere, além dos cursos na área da saúde, a instituição que efetuará a matrícula. Na UCDB você conta com um corpo docente de primeira linha, recursos tecnológicos de ponta e ótimos conceitos educacionais para se destacar no mercado de trabalho.

Se você curtiu este artigo sobre as várias áreas da saúde, então não perca a oportunidade e confira nossa lista completa de cursos de graduação para se informar melhor sobre cada um deles!

1º Campus Day UCDB

Campus Day UCDB, o que é?

O Campus Day é um evento preparado para você, que está no ensino médio!
Iremos proporcionar a experiência de um dia dentro da Universidade.
Teremos palestra sobre dicas para o Enem com a galera do ProEnem tirando dúvidas sobre matemática e redação, e a UCDB idiomas, com inglês e espanhol. Além disso, você vai poder escolher uma área de preferência para tirar dúvidas sobre a profissão e vivenciar o dia a dia do curso.

Que dia?

As palestras acontecem dentro do Campus Day, promovido pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) no dia 24 de setembro.

A que horas?

O evento acontecerá o dia todo, das 8h às 22h.
Você irá se programar de acordo com a sua inscrição.

Onde?

Aqui na UCDB. Av. Tamandaré, nº 6.000,0 Jd. Seminário

Como vai ser?

Após a palestra sobre Matemática (8h30), os participantes inscritos no Campus Day vão conhecer os diversos espaços da UCDB, divididos por área do conhecimento. “Queremos proporcionar aos estudantes um dia de vivência em uma universidade. Então, fizemos uma programação que denominamos de ‘trilhas’, em que os professores e acadêmicos mostrarão todas as possibilidades e atrativos de seu curso. Será um momento de muita interação, para tirar dúvidas e conhecer de perto o que cada profissional faz”, explicou o Pró-Reitor de Desenvolvimento Institucional, Ir. Gillianno Mazzetto. Serão seis trilhas disponíveis: Agrárias e Medicina Veterinária; Biológicas e da Saúde; Comunicação e Design; Engenharias e Computação; Licenciaturas; e Sociais Aplicadas. Elas terão início às 9h30 e seguirão até às 12h.

No período da tarde, às 14h, professores da UCDB Idiomas, escola de línguas da Católica, serão os responsáveis pela palestra sobre Inglês e Espanhol. Às 18h, acontece a palestra sobre Redação, seguida de mais uma oportunidade para os estudantes passarem pelas trilhas.

Como participar? Faça sua sua inscrição gratuitamente, aqui  e programe-se!

 

Conheça os principais tipos de engenharia e veja qual é a sua cara!

05Você já deve ter ouvido falar na profissão de engenheiro e nos cursos de engenharia. Entretanto, quem não é da área normalmente tem dificuldades em dizer as reais diferenças entre os tipos de engenharia. Como é um assunto de interesse de muitos estudantes, resolvemos produzir este artigo com a descrição de cada um dos principais cursos.

Iniciaremos a conversa abordando os motivos que levam os estudantes a escolher o campo e as vantagens de optar por essa carreira. Depois, discutiremos as particularidades de cada um dos tipos de engenharia.

Com o fim da leitura, você entenderá com clareza as características e particularidades que definem essas subdivisões e estará muito mais apto a fazer uma escolha tão decisiva como essa. Continue conosco e confira!

Por que escolher estudar engenharia?

Um princípio fundamental, que unifica essas diferentes perspectivas, é a capacidade do profissional em transformar a realidade materialmente. Quem se interessa por engenharia, normalmente tem um algum apreço por essa possibilidade de mudar determinado cenário a partir de suas próprias projeções e análises técnicas.

Assim sendo, preza-se nesse segmento pelo desenvolvimento de um raciocínio analítico por parte do estudante. Outro elemento comum é a constante interação com recursos tecnológicos. Seja no campo, na cidade ou mesmo no ambiente industrial, esse interesse por se apropriar e trabalhar com tecnologias inovadoras é fundamental!

É um mercado com demanda de trabalho constante em qualquer época. Ao mesmo tempo, exige-se do profissional uma constante atualização de suas capacidades e conhecimento técnico.

Sendo assim, é altamente indicado uma formação posterior à graduação, como os cursos de especialização, que ajudam a destacar o currículo profissional. Outro ponto que não podemos deixar de mencionar é a importância de o estudante ter alguma afinidade com os números na hora de estudar.

Querendo ou não, qualquer curso de engenharia envolve o estudo aprofundado de operações e cálculos matemáticos. É claro que essa é uma habilidade que pode ser desenvolvida ao longo de sua permanência na graduação, mas certamente facilitará bastante seu envolvimento com a área.

Quais são os principais tipos de engenharia?

Engenharia Civil

Um dos ramos mais conhecidos e populares entre os tipos de engenharia. Cuida de várias etapas da criação e execução de projetos como: casas, prédios, estradas, e muitas outras formas de construção civil.

Essa vertente é interessante também por sua ampla demanda em qualquer tipo de contexto ou região. Seja onde for, a construção civil sempre será necessária como um conhecimento técnico usado tanto em momentos de crise quanto de prosperidade.

Vale mencionar também que há uma equivocada impressão que o engenheiro civil limita sua ocupação a projetar edifícios e afins, mas existem outras possibilidades interessantes de aplicação de suas capacidades.

Ele também é responsável pela emissão de laudos técnicos, averiguação dos parâmetros econômicos de um projeto, além da prestação de serviços como orientação técnica e consultoria.

Engenharia Elétrica

Como o próprio nome indica, esse é o segmento da engenharia que se ocupa da criação, execução e manutenção de sistemas que envolvem eletricidade. A transmissão e transformação segura da energia elétrica é um elemento fundamental nesse trabalho. Parte essencial de qualquer construção é a criação de um modelo seguro e econômico de energia seja adequado às necessidades daquele espaço.

Tem grande presença na base da produção industrial, sendo muito necessário também para a organização da infraestrutura urbana. Além de suas aplicações mais conhecidas, a engenharia elétrica também atua na criação de equipamentos eletroeletrônicos e redes, desenvolvendo tecnologias importantes para laboratórios, hospitais e telecomunicações.

Engenharia Mecânica

O engenheiro mecânico trabalha principalmente com máquinas e equipamentos. É um ramo da engenharia voltado especialmente para a indústria, que se beneficia bastante com a criação de aparelhos que atendam às mais diversas demandas do mercado.

Eles são responsáveis pela criação de veículos, aparelhos de refrigeração, grandes máquinas operárias e uma infinidade de ferramentas essenciais para o nosso cotidiano. A engenharia mecânica figura como uma área bastante rentável, já que os profissionais que se destacam nela são responsáveis pela estruturação de equipamentos com altíssimo valor de mercado.

Engenharia Sanitária e Ambiental

Falando em cotidiano, a engenharia sanitária trata da produção de sistemas necessários em qualquer cidade: aqueles que cuidam da água e do esgoto. Condições básicas de saneamento formam uma pauta importante para muitas regiões do país e do mundo, principalmente aquelas onde faltam essas estruturas.

Nesse mesmo âmbito, também existe uma preocupação em criar soluções criativas e saudáveis para aperfeiçoar a maneira como utilizamos os recursos hídricos e lidamos com dejetos. A engenharia ambiental está localizada também nesse cenário. Sua preocupação maior é a criação de formas de produção ecologicamente sustentáveis.

Esse cuidado com o meio ambiente é uma tendência presente em muitos países, deixando de representar apenas uma “preocupação social” e causando impactos diretos também na economia e qualidade de vida da população.

Engenharia de Computação

Como você pode imaginar, trata-se do curso de graduação que qualifica o estudante para projetar e desenvolver aparelhos da área da computação e adjacentes. É um segmento com altíssima demanda e com ótimas projeções para o futuro.

Está intimamente ligado às esferas da ciência da computação e engenharia eletrônica, mas tem como foco a produção de sistemas físicos, também chamados de hardware, além dos aparelhos de suporte para operar esses equipamentos.

Deu para perceber que cada um dos tipos de engenharia tem características bem específicas, não é? Caso já tenha decidido por cursar uma graduação nesse grande campo, agora só resta decidir qual deles combina mais com você! Todos oferecerem possibilidades reais de uma boa inserção no mercado de trabalho. Cabe ao estudante avaliar suas preferências, trajetória pessoal e expectativas de futuro para decidir qual a que melhor o atende.

Por fim, sugerimos que confira os cursos de Engenharia ofertados pela UCDB! Temos tradição como a melhor universidade particular do Mato Grosso do Sul, além de contar com uma bela infraestrutura e uma equipe docente de grande reconhecimento.

O que achou de nosso artigo sobre os tipos de engenharia? Compartilhe-o em suas redes sociais e ajude a levar essas informações a outros interessados!

Aplicativos para estudo: 8 apps para você instalar já!

Ao traçar um plano de carreira, é preciso averiguar a graduação que combina mais com você e criar maneiras de passar no vestibular sem sufoco. Para que isso ocorra, utilizar aplicativos para estudo pode gerar ótimos resultados ao decorrer da jornada.

Muitos estudantes pelo Brasil enfrentam dificuldades de concentrarem seus esforços em algumas tarefas, organizarem seus afazeres e assimilarem as matérias da melhor forma possível, evitando passar por apuros na hora do vestibular.

Buscar métodos de aprendizagem é algo que contribui muito com o índice de aprovações, por isso, trouxemos informações essenciais para que você se dê bem nas provas. Acompanhe a leitura para conferir!

Afinal, qual a importância de usar a tecnologia para estudar?

As gerações que nasceram depois da década de 1980 tiveram a oportunidade de crescer em uma efervescência de novas tecnologias que brotam o tempo todo, cujo maior propósito é o de facilitar o cotidiano dos usuários. Jamais se poderia pensar que esses avanços se tornariam cada vez mais acessíveis e disponíveis com apenas poucos cliques na tela do celular.

A tecnologia é uma ferramenta crucial ao estudar para o vestibular, por exemplo, pois permite que os estudantes tenham mais interesse em conhecer as matérias, gerenciem melhor o tempo e se sintam motivados para alcançarem seus objetivos. Com essa democratização de conteúdos pela internet, o nível de aprovações tem subido consideravelmente e facilitado a vida dos vestibulandos.

Quais são os aplicativos para estudo mais recomendados?

Sabendo da importância da tecnologia nas nossas vidas e o quanto ela contribui para chegarmos ao objetivo de ingressar em uma universidade de primeira linha, nada melhor que conferir boas recomendações para tirar proveito disso. Veja abaixo 8 dicas de aplicativos para estudo que você precisa baixar hoje mesmo em seu aparelho móvel.

1. Brainly

Imagine que você esteja com uma tremenda dúvida ao estudar matemática, física, química ou outra matéria e queira uma resposta simples, sem precisar buscar milhares de artigos para solucionar seu problema.

Pois bem, o Brainly facilita a vida de qualquer estudante, porque você terá acesso a todas as matérias e demora cerca de 10 minutos, no máximo, para alguém responder suas perguntas de forma objetiva.

Google Play | App Store

2. Duolingo

Nem todo mundo tem as condições de fazer um curso de inglês por anos e se dedicar com afinco na disciplina, mas é possível diminuir um pouco a barreira entre você e um segundo idioma.

O Duolingo permite aprender diversas linguagens com tarefas bem didáticas e que impulsionam o usuário a exercitar a memória a cada nível, além de ter um ranking para conquistar mais pontos e cumprir as etapas de aprendizado.

Google Play | App Store

3. Evernote

Manter a vida organizada se torna um baita desafio com uma rotina corrida, mas o Evernote veio para auxiliar o cotidiano dos vestibulandos. Com esse aplicativo é possível focar no que realmente importa, isto é, você pode utilizá-lo como bloco de notas, armazenador de arquivos, scanner de documentos e demais funções incríveis que trarão disciplina e produtividade.

Google Play | App Store

4. G1 ENEM

A competitividade é um gatilho mental poderoso para vencer a preguiça e estudar com vontade, por isso a proposta do app G1 ENEM é criar um desafio de inúmeras questões das áreas de conhecimento exigidas e gerar disputas interessantes com os usuários. Você pode acompanhar seu desempenho a cada batalha e, por meio de videoaulas, revisar o conteúdo que está deficitário.

Google Play | App Store

5. Google Drive

O Google traz um arsenal de vantagens para os estudantes que querem se organizar com excelência, sendo que o app Google Drive é o queridinho dos universitários.

Com ele é possível armazenar os conteúdos e ter isso acessível na hora que desejar e em qualquer plataforma, sendo que é possível fazer o upload de pastas inteiras, documentos, planilhas, imagens, vídeos e, até mesmo, apresentações em slides.

Google Play | App Store

6. Panda

Você sabe bem que a redação e as questões de língua portuguesa pesam bastante em muitos vestibulares, concursos e entrevistas de emprego, não é verdade? Sendo assim, nada melhor que estudar por meio do aplicativo Português Panda para Concursos e Provas, pois ele traz uma bateria de exercícios sobre acentuação, coesão, regência, semântica, concordância, entre outros temas para deixar você fera no assunto.

Google Play

7. Passei Direto

Esse é um tipo de aplicativo que vai acompanhar sua carreira acadêmica por muito tempo, pois permite que vários usuários de diversos cursos compartilhem exercícios corrigidos, apostilas, livros digitais, informativos de palestras etc.

Com o Passei Direto você consegue seguir perfis específicos de uma determinada disciplina e gerar listas para salvar os materiais que julga serem essenciais ao seu aprendizado.

Google Play | App Store

8. Trello

Se você busca modificar seus hábitos e ter planejamento para estudar melhor, então o Trello foi feito para mudar sua vida estudantil e fazer com que você aproveite mais cada minuto do seu dia.

Você pode desmembrar suas tarefas em colunas, a fim de gerenciar o que tem para fazer, o que está em andamento e o que concluiu, além de ter vários recursos para adicionar outros usuários, armazenar conteúdos, criar listas etc.

Google Play | App Store

Como os estudantes podem se organizar nos estudos?

Claro que só utilizar os aplicativos não será suficiente se você não tiver determinação para estudar com efetividade, ou seja, é indispensável organizar sua rotina a fim de assimilar os conteúdos de fato. Como bônus, trouxemos abaixo algumas dicas preciosas para se planejar e tirar excelentes notas nos vestibulares.

Defina as prioridades de estudo

Não tem outra saída, se você quer conquistar a tão sonhada vaga na universidade para fazer o curso dos seus sonhos, é essencial definir suas prioridades nos estudos para ter uma boa produtividade.

O ideal é construir um cronograma com todas as disciplinas que precisa estudar e estabelecer um tempo para focar em cada uma delas, além de fazer vários exercícios para assimilá-las melhor.

Escolha um local adequado

Um dos fatores que mais contribui com a perda de foco é o local em que você decide estudar, afinal, aspectos como iluminação, conforto, temperatura e acústica podem influenciar bastante no seu desempenho.

É de suma importância que você escolha um ambiente que dê a oportunidade de focar nos livros, artigos e apostilas com voracidade e evitar, assim, quaisquer problemas que gerem sonolência ou distrações.

Livre-se das distrações

Um dos grandes fatores de autossabotagem no estudo é se perder nas distrações e ficar horas procrastinando, tendo a falsa impressão de que está sendo produtivo em algo.

Por isso, utilize os aplicativos nos aparelhos móveis, mas se lembre de tirar as notificações das redes sociais enquanto estuda, afinal, uma simples mensagem pode tirar seu foco e colocar seu planejamento a perder.

Por fim, saiba aproveitar ao máximo o potencial dos aplicativos para estudo e tenha a consciência de que a vaga na universidade só vem com esforço, determinação e foco, a fim de aprender com propriedade cada matéria e ter um bom desempenho nas provas.

Se você curtiu este artigo, mas ainda não faz ideia por onde começar, então aproveite a visita ao blog e aprenda como montar um cronograma de estudos infalível!

Carreira em Ciências Contábeis: vale a pena seguir nessa área?

Gosta de exatas, é organizado e presta atenção em detalhes? Então a carreira em Ciências Contábeis pode oferecer excelentes oportunidades a você! Ela traz diversas oportunidades para diferentes áreas, o que pode ir além dos números.

Mas será que vale a pena seguir para esse lado? É sobre isso que falaremos neste post. Então, saiba que profissão é essa, como se preparar para o mercado, bem como as vantagens e desvantagens dessa escolha.

O que faz o profissional de Ciências Contábeis?

O contador, que é o profissional de Ciências Contábeis, é o responsável por organizar as despesas de uma organização. Ele atua na gestão financeira, econômica, fiscal e patrimonial. Em companhias maiores, devido ao grande volume de trabalho, esse profissional às vezes fica restrito a uma quantidade limitada de áreas ou tarefas. Nos negócios menores, ele geralmente responde por todas as atividades que envolvem dinheiro.

Entre as principais atividades de um contador, podemos destacar:

  • procedimentos para abrir e fechar empresas: é responsável pelo registro da organização nos órgãos do governo, bem como dos trâmites para obter o alvará de funcionamento e para encerrar as atividades do negócio;
  • classificação e controle de despesas: o contador organiza os pagamentos feitos pelas organizações de acordo com centros de custos, mostrando para onde vai cada centavo da empresa;
  • elaboração de demonstrativos financeiros: após o registro, o contador elabora relatórios e demonstrativos financeiros, como balanços, planilhas de custos, projeção de gastos, apuração de lucros etc;
  • movimentação das contas: tudo que acontece nas contas bancárias da empresa, bem como seus empréstimos e investimentos, fica sob a responsabilidade do contador;
  • auditoria: verificação dos registros contábeis para apontamento de erros e inconformidades;
  • perícia contábil: em alguns casos, o contador avalia documentos e emite uma opinião técnica que embasará decisões judiciais e extrajudiciais;
  • consultoria: muitos contadores não trabalham para uma única organização — eles atuam como consultores e ajudam os empreendimentos a administrarem sua área financeira e a crescerem de forma saudável.

Essas são as principais atividades realizadas pelos contadores. Ficou interessado na área? Acha que sua personalidade tem tudo a ver com essa carreira e essa pode ser sua vocação profissional? Saiba um pouco mais sobre a graduação em Ciências Contábeis!

O que o curso de Ciências Contábeis ensina?

O curso superior de Ciências Contábeis é o caminho para se tornar um profissional contabilista desta área. A graduação tem duração de quatro anos e muitas matérias práticas em sua grade curricular. A base começa com disciplinas como matemática, estatística, filosofia, noções de Direito, princípios da administração empresarial e lógica.

Porém, ao longo do curso, as matérias vão se tornando cada vez mais específicas, tais como:

Disciplinas na área de Contabilidade

  • Teoria da contabilidade;
  • Contabilidade geral, intermediária e avançada;
  • Contabilidade e análise de custos;
  • Contabilidade de setores específicos (pública, tributária, do agronegócio etc.);
  • Ética e Legislação Contábil.
  • Administração financeira e orçamentária
  • Direito Tributário
  • Direito Trabalhista
  • Direito Empresarial.

O curso também ensina os princípios e práticas relacionadas à auditoria, controladoria, perícia e arbitragem. Recentemente, disciplinas sobre responsabilidade social e ambiental e empreendedorismo também se tornaram muito importantes e passaram a fazer parte da grade curricular de excelentes universidades que atuam no mercado.

Para os alunos que não encontram o curso de Ciências Contábeis em sua cidade ou que têm dificuldade de comparecer às aulas em dias e horários específicos, já existem universidades que oferecem essa graduação a distância. Portanto basta se informar sobre as melhores opções e começar a investir no seu futuro!

Como é a carreira em Ciências Contábeis?

Como você pode ver, esse é um profissional com grande demanda no mercado. Ele realiza uma série de atividades essenciais para as empresas, tanto para as pequenas quanto para as de grande porte.

Na verdade, não existe um negócio formal sem que o contador atue para regularizá-lo diante dos órgãos governamentais. Além disso, a análise dele é considerada indispensável para embasar uma série de decisões dos gestores.

Entre todas as categorias de empresas, apenas os microempreendedores individuais (MEI) não são obrigados a contratar um contador. Todas as outras: microempresas, organizações de médio porte ou grandes companhias precisam ter o respaldo desse profissional nas áreas contábil e fiscal. Se o empreendimento não consegue ter um profissional trabalhando internamente, ele precisa terceirizar esse serviço.

Essa terceirização cria uma oportunidade que muitos contadores consideram a principal vantagem de sua profissão. Eles conseguem abrir o próprio negócio com muita facilidade. Basta montar um escritório e oferecer seus serviços para várias pequenas empresas, potencializando seus lucros. Portanto não falta campo de trabalho para quem busca essa formação. É uma área de altíssima empregabilidade.

O salário do profissional em Ciências Contábeis

O salário dos contadores também é considerado muito bom. Embora o rendimento seja variável de acordo com o local do país ou mesmo de acordo com o porte da empresa. Há contadores que se especializaram e chegaram ao topo de organizações e, em posições estratégicas, chegam a alcançar rendas bem expressivas.

Também não podemos nos esquecer de que algumas atividades realizadas pelos contadores estão em franco crescimento. As empresas já entendem a necessidade de processos precisos de controladoria e auditoria.

As atividades nessa direção ajudam não só a controlar custos e evitar desvios de recursos, mas a conformar a organização a normas de compliance que a tornarão elegíveis a prestar serviços para organizações que praticam a transparência e também para órgãos do governo.

A única desvantagem da carreira em Ciências Contábeis é a concorrência, o que pode ser um desafio para quem está começando. Porém os cursos livres e de pós-graduação são algumas das alternativas para fazer o contador se destacar, conquistar autoridade e aumentar a procura por seus serviços.

Finalmente, para o profissional organizado e detalhista, a carreira em Ciências Contábeis pode ser uma excelente opção. Com dedicação e interesse em se especializar, não faltam vagas de trabalho nem oportunidade para crescer dentro de grandes organizações.

Gostou da ideia de seguir carreira em Ciências Contábeis? Quer conhecer outras opções antes de tomar sua decisão e escolher um curso superior? A UCDB oferece a graduação nasduas modalidades: presencial e a distância com qualidade reconhecida pelo Ministério da Educação e pelo mercado de trabalho. Então, não perca tempo! Siga-nos nas redes sociais — Facebook, Instagram, YouTube, Twitter e LinkedIn — para acompanhar mais dicas de como escolher a profissão e ter sucesso em sua carreira!

Tudo o que você precisa saber para melhorar sua qualificação profissional

Hoje em dia, o mercado de trabalho está cada vez mais competitivo. Para se destacar em meio a tantos colegas de profissão, é necessário ter um diferencial. Nesse contexto, entra a qualificação profissional.

Por muitos anos, bastava uma graduação para conseguir boas oportunidades. Mas, para alcançar patamares mais altos na carreira, é preciso investir em cursos e especializações. Dessa maneira, é possível ampliar as suas áreas de conhecimento e fazer com que o seu nome seja reconhecido.

Ficou interessado no assunto? Também acha que precisa ir além para atingir os seus objetivos profissionais? Então, continue a leitura. Neste post falaremos mais sobre carreira e como a qualificação profissional é importante para o alcance de mais sucesso. Confira!

O que significa ter qualificação profissional?

A qualificação profissional ocorre quando o indivíduo aperfeiçoa os seus conhecimentos profissionais. É toda a bagagem que ele carrega das experiências no trabalho e nos cursos que participa. A graduação é um bom exemplo disso.

O mais interessante da qualificação profissional é que ela não tem limites, ou seja, quanto mais conhecimento e prática, mais capacitada a pessoa estará para atuar em suas funções. Isso permitirá que o indivíduo trabalhe em nichos mais específicos do mercado.

Assim, ele pode se realizar profissionalmente e exercer papéis que o satisfaçam. Esse é o caso das especializações, como pós-graduação, doutorado e demais títulos. Outros exemplos são os cursos de línguas, informática, libras e algum outro que possa enriquecer o currículo.

Resumidamente, a qualificação profissional favorece o desenvolvimento de mais profissionais do colaborador. Dessa maneira, a qualificação proporciona maior competência profissional em um prazo menor e mais chances de alcançar o sucesso em sua área de atuação.

Qual é a importância de se qualificar profissionalmente nos dias de hoje?

Muita gente acha que se formar em uma determinada profissão é o suficiente. Todavia o mercado de trabalho tem sinalizado que a competição está cada vez mais acirrada, e quem para no tempo fica para trás. Se você ainda não se convenceu de que a qualificação profissional é importante, veja os motivos pelos quais você precisa aprimorar a sua!

Atualizar os conhecimentos

No mundo moderno, as informações surgem a toda hora. Novas ideias, equipamentos, técnicas, conceitos, opiniões e desafios aparecem quando menos esperamos e com uma frequência que parece ser impossível de acompanhar.

No entanto, quem está atualizado consegue ficar por dentro tudo e usufruir de todas as facilidades que a tecnologia traz para o trabalho. Assim, é preciso buscar formas de atualização, como cursos, workshops, palestras, feiras, colóquios, simpósios e uma infinidade de outros recursos para adquirir conhecimento.

Ser reconhecido

Todo o conhecimento adquirido com os cursos, especializações e eventos é importante para a nossa profissão. No entanto os diplomas recebidos são fundamentais para sermos reconhecidos.

Em uma entrevista de emprego, promoção de cargo, aumento de salário ou bonificação, as empresas consideram, e muito, a formação acadêmica do profissional, juntamente aos fatores comportamentais e experiência prática. Com isso, quem se atualiza sai na frente e recebe vantagens.

Aliás, ter o reconhecimento do seu trabalho é uma satisfação e tanta, não é verdade? E a qualificação profissional pode ajudar bastante. Quanto maior ela é, mais nos sentimos seguros para tomar decisões e atuar de maneira eficiente nas nossas funções. Tudo isso contribui para que as pessoas notem as nossas habilidades e saibam reconhecê-las.

Conhecer pessoas novas

Você já ouviu falar de network? E nada mais é do que uma rede de contatos profissionais que pode ajudar a alavancar a carreira. Sabe aquela história de que um conhecido conseguiu uma vaga incrível para outro? Isso é network. Por meio dele, conseguimos nos conectar a pessoas da nossa área, que podem nos dar oportunidades únicas na vida.

Além disso, fazer novos cursos e participar de eventos relacionados à profissão também gera troca de experiências. As conversas, os trabalhos em equipe e até as horas de descontração são positivas para desenvolver habilidades e enxergar outros pontos de vista.

Superar novos desafios

Ficar na zona de conforto nunca é interessante. Ela atrasa a nossa evolução profissional e nos deixa cada vez mais distantes do sucesso. Solucionar problemas e superar os desafios nos fortalecem. Afinal, isso nos prepara para lidar com diversas condições, principalmente as mais difíceis, e isso é um diferencial no mercado de trabalho.

Quando falamos em qualificação profissional, nos referimos também a todos os percalços que temos que passar para alcançá-la. Desde as provas e os trabalhos dos cursos até a capacidade de administrar o tempo e o orçamento.

Tudo isso é capaz de nos fazer refletir e aprender a resolver questões difíceis da melhor maneira possível, o que é admirável em um profissional.

Redirecionar sua carreira

A sua profissão não é bem o que você pensou? Não está satisfeito com o rumo em que sua carreira está tomando? Então, saiba que se qualificar profissionalmente pode ser uma boa estratégia para realizar o desejo de trabalhar com satisfação.

A qualificação profissional não é somente uma estratégia para quem deseja manter-se no mercado, subir de cargo ou ter um aumento salarial. Também é uma maneira de mudar os planos profissionais, arriscar outros horizontes ou investir em um hobby para ganhar um dinheiro extra.

Algumas pessoas acham que não vale a pena investir em uma capacitação que não seja especificamente da sua área de formação ou atuação. Porém a qualificação profissional sempre desenvolve as suas habilidades, e ter outras visões e campos de conhecimento pode agregar às suas capacidades, sendo mais um ponto positivo para o currículo.

Por que a qualificação profissional é exigência do mercado?

Como dissemos, a competitividade no mercado de trabalho é cada vez mais maior. Com a facilidade na formação acadêmica, o diferencial é o que o colaborador pode oferecer a mais e melhor do que os outros candidatos em uma empresa.

As organizações estão mais exigentes e buscam por profissionais que saibam não apenas exercer uma função, mas que façam com muita excelência. Alguém que é qualificado saberá lidar com as adversidades, estará preparado para novos desafios e poderá contribuir cada vez mais para o crescimento da empresa.

Se você fosse um contratante, qual candidato gostaria como parceiro: o que tem conhecimentos básicos da profissão ou aquele que saiu de sua zona de conforto e buscou se capacitar e adquirir novas competências que poderão ser muito úteis para a corporação? O segundo, não é verdade?

Pensando assim, é mais fácil entender por que o mercado de trabalho está cada vez mais exigente. Ele é dinâmico e, por isso, é preciso acompanhá-lo para não ficar para trás.

Quais as maneiras de melhorar a qualificação profissional?

Agora que você já sabe da importância de ter a qualificação profissional para se manter competitivo no mercado de trabalho, chegou a hora de saber como se capacitar para oferecer o melhor das suas habilidades. Acompanhe!

Cursos

Entre os mais diversos cursos, você pode optar pelos que ajudarão a alavancar a sua carreira, a começar pela graduação. Se já é graduado, os de especialização, mestrado, doutorado e pós-doutorado são os próximos passos para a qualificação profissional. Quanto mais títulos tiver, maiores serão as suas chances no mercado.

Além desses, os cursos de curto e médio prazo também contam muito. Eles ajudam a enriquecer o conhecimento e, claro, o seu currículo. Você pode encontrá-los da maneira presencial ou online.

Eventos

Os eventos são fundamentais para a qualificação profissional. Simpósios, palestras e workshops são bons exemplos de ocasiões em que podemos adquirir conhecimento e manter o network atualizado, o que é muito importante.

Outros

Além do que já falamos, que são quesitos mais específicos da profissão, outros tipos de competências são necessárias para se qualificar profissionalmente.

  • fazer cursos complementares;
  • dominar outros idiomas;
  • estar atualizado sobre as inovações em sua área;
  • buscar experiência;
  • ter comportamento e desenvolver habilidades que julgar fundamentais para o cargo pretendido.

Como escolher a melhor opção de qualificação profissional?

É comum surgirem algumas dúvidas na hora de escolher uma qualificação profissional. Com tantas opções e oportunidades fica difícil mesmo. Para ajudá-lo nessa missão, trouxemos algumas dicas. Veja!

Defina a modalidade do curso

Existem duas modalidades de ensino: presencial e a distância. Ambas são excelentes, dependendo da instituição. A diferença é que uma se encaixa mais em determinado perfil e estilo de vida do que a outra.

Por exemplo, se você é do tipo de pessoa que precisa tirar as dúvidas com o professor, aprende melhor em sala de aula e tem disponibilidade de horários, um curso presencial pode ser o ideal.

Agora, se você não tem muito tempo ou mora longe do campus da Universidade e aprende muito bem pesquisando sozinho ou com apoio remoto, o estudo a distância pode ser a solução.

Estabeleça os seus objetivos

Um belo dia você acorda e decide que quer fazer um curso de qualificação. Escolhe o que acha que vai se dar bem e começa. Quais são as chances disso dar certo? São mínimas, concorda?

Antes de iniciar a sua qualificação profissional, é necessário estabelecer os seus objetivos. Assim, você consegue traçar um caminho para percorrer e evita frustrações. Refletir sobre os pontos abaixo pode ajudar:

  • verifique a utilidade prática dele em sua vida profissional;
  • certifique-se de que terá disponibilidade para se dedicar ao curso;
  • calcule o quanto poderá ter de retorno financeiro com ele;
  • pergunte-se se realmente quer fazer um curso para adquirir conhecimento ou apenas ter um título no currículo.

Veja quais são as demandas do mercado

Embora a qualificação profissional seja feita para aquisição de novos conhecimentos e especialização na área de atuação, é interessante saber qual é a demanda para o nicho em que você pretende se capacitar. Afinal, um dos objetivos é se inserir no mercado com boas oportunidades.

Imagine fazer um curso e, ao fim dele, perceber que não há muitas vagas disponíveis para aquela formação, seja pelo excesso de mão de obra ou porque a função já está ultrapassada. Ruim, não é?

Por isso, antes de ingressar em uma capacitação, pesquise sobre a procura de profissionais da área em que pretende se capacitar. É preciso colocar na balança o que o nosso coração diz com o que a razão pondera. No fim das contas, ninguém quer se dedicar a uma profissão sem ter chances de trabalhar nela, certo?

Analise a grade curricular

Você é do tipo de pessoa empolgada, que olha o título do curso e já decide fazê-lo achando que é tudo o que precisa para se qualificar? Então, é melhor parar um pouco e observar a grade curricular.

Nem sempre o curso é o que o título sugere, e pode não ter a ver com o que você precisa de verdade para a sua qualificação profissional. Olhe o conteúdo programático e certifique-se que as matérias serão bem aproveitadas para o seu objetivo. Assim, você evita a perda de tempo e dinheiro, além da frustração de suas expectativas.

Procure indicações

Quem é melhor do que os próprios alunos do curso para falar sobre ele? Em seu network, círculo de amizades ou até na internet e nas redes sociais, procure por indicações e informações sobre a qualificação profissional que pretende fazer.

Veja se os professores são bons, se a estrutura física é legal, se o curso corresponde às expectativas dos estudantes, se é válido para a área profissional que você quer… enfim, procure saber o máximo de informações para ter segurança antes de apostar todas as suas fichas.

Mantenha o foco

Muita gente começa a qualificação profissional com entusiasmo, mas o perde no meio do caminho. Por isso, é interessante manter o foco durante todo o percurso. Ter um diploma só por ter, sem nenhum aprendizado, não é o objetivo da capacitação.

Preocupe-se em dar o seu melhor, absorver todo o conhecimento e aproveitar o máximo que a instituição de ensino pode oferecer. Além disso, tenha certeza de que o curso é útil em sua vida profissional.

Certifique-se da duração do curso

Um dos pontos mais importantes para a qualificação profissional é o tempo que você tem disponível para realizá-la, de maneira produtiva. Se fizer um curso que demanda mais horas do que é capaz de cumprir com excelência, será perda de energia e um investimento pouco válido.

Por exemplo, seus horários são muito apertados e você escolhe um curso com presença semanal. Provavelmente, o cansaço baterá, e as aulas não serão aproveitadas como deveriam. Nesse caso, uma boa opção é a educação a distância.

Além disso, confira quantos meses você poderá se dedicar à capacitação. Muitas vezes, o tempo é curto, mas a duração do curso também, como os de extensão, que são opções rápidas para atualização profissional. Então, vale a pena fazer o esforço por poucos meses, não é mesmo?

Como planejar para começar a se qualificar profissionalmente?

Como tudo na vida, qualificar-se profissionalmente também exige planejamento, principalmente se você já tem os horários comprometidos pelo trabalho. Para não perder tempo, algumas dicas são essenciais, sendo práticas ou reflexivas. Saiba mais a seguir!

Vá além do diploma

Ter um diploma somente para acrescentá-lo ao currículo não é nada eficaz. Sabemos que, infelizmente, existem muitos profissionais que apenas ostentam o título, mas de fato não têm conhecimento.

Isso pode acontecer por diversos motivos, entre eles, a falta de aptidão para a profissão e o pouco interesse em realmente aprender quando houve oportunidade. Quantas pessoas fazem um curso apenas por fazer?

Não seja esse profissional. Aproveite ao máximo todas as chances de aprendizado que a instituição pode oferecer. É isso que fará de você se diferenciar dos outros que têm o mesmo currículo que o seu.

Não veja apenas o financeiro

É óbvio que um dos fatores que determinam a nossa escolha profissional é o dinheiro. Afinal, um dos resultados de uma carreira de sucesso é uma boa remuneração. Porém esse não deve ser o seu norte ao optar por uma qualificação.

De nada adianta fazer uma especialização em uma área com que você não se identifica apenas porque as chances de ganhar bem são mais altas, se não é o que gosta de fazer realmente.

Pense que trabalhar com algo que ama é tão prazeroso que a busca por conhecimento é natural e o aprendizado é muito mais fácil. Com certeza, isso conta muito na hora de se considerar qualificado.

Mantenha os pés no chão

Muitas vezes, vemos um profissional bem-sucedido em um cargo importante, boa remuneração e alto reconhecimento, mas não sabemos quais foram as dificuldades que ele enfrentou para chegar até lá.

É comum analisarmos somente o presente e nos esquecermos de que aquela pessoa trabalhou muito, teve noites mal dormidas, abdicou de momentos de lazer com a família e amigos para estar lá.

Por isso, não se iluda achando que basta se matricular em um curso, sem precisar fazer alguns sacrifícios em prol da carreira. Tenha em mente que, talvez, seja necessário estudar no seu dia de folga e redefinir as suas prioridades.

 Atualização constante

Mesmo que você não tenha condições de fazer um curso no momento, seja por questões financeiras, pessoais ou de tempo, mantenha-se sempre atualizado. Com a internet, você pode pesquisar informações importantes sobre a sua profissão e área de atuação.

Ter contato com outros profissionais do mesmo ramo também é uma ótima maneira de se manter atualizado. Sempre que tiver oportunidade, converse com eles e troque experiências. Dessa maneira, você fica por dentro de tudo que acontece na sua área. Lembre-se de que, para a qualificação profissional, todo o conhecimento é válido.

Invista em bons cursos de qualificação

Não pense que todos os cursos e instituições de ensino são iguais, porque não são. Uma boa grade curricular, infraestrutura excelente e docentes competentes são essenciais para tornar a qualificação realmente proveitosa.

Não vá escolher o seu curso apenas pelo valor da mensalidade, pois pode ser um dinheiro jogado fora. Em contrapartida, ter um título no currículo dado por uma instituição renomada é um diferencial e tanto na hora de competir com os demais candidatos.

Encaixe os horários

Para quem já está no mercado de trabalho, começar um curso pode ser um pouco complicado por conta do tempo. Pensando nisso, é importante fazer um cronograma, estabelecer as prioridades e encaixar todos os horários.

Lembre-se de que toda qualificação demanda algumas horas para os estudos e elaboração de trabalhos. Tenha certeza de que poderá se dedicar para não se frustrar depois.

Planeje-se financeiramente

O planejamento financeiro também é fundamental. Sabemos que muitos cursos e eventos de qualificação tem um valor alto. Entretanto você deve pensar que não é um custo, e sim um investimento.

Coloque o seu orçamento na ponta do lápis e veja se a qualificação cabe dentro dele. Caso a resposta seja negativa, analise como cortar gastos para apostar no seu futuro. Alguns meses de sacrifício financeiro poderão resultar no crescimento da carreira e, consequentemente, da remuneração. Pense nisso!

Quais as competências para começar uma qualificação profissional?

Todo mundo pode começar uma qualificação profissional. No entanto é preciso desenvolver algumas capacidades e comportamentos, caso ainda não tenha, para que tudo saia como o esperado e seja muito produtivo. Conheça quais são:

  • ser proativo;
  • ser comunicativo;
  • ser comprometido;
  • estabelecer metas e cumpri-las;
  • ser criativo;
  • tomar boas decisões;
  • ter autoconhecimento;
  • traçar um bom plano de carreira;
  • saber trabalhar em equipe;
  • ter inteligência emocional.

Tudo isso conta muito na hora de se qualificar profissionalmente. Como dissemos, fazer uma capacitação profissional é muito mais do que adquirir um diploma. É preciso saber extrair os conhecimentos para render bons frutos.

Como escolher uma IES de qualidade?

Bom, você já se decidiu pela qualificação profissional e refletiu todos os pontos que falamos neste post. Está na hora de escolher uma instituição de ensino que colaborará com a sua capacitação e o ajudará a se tornar um profissional mais completo.

Antes de mais nada, faça uma lista com as universidades que têm o curso que você gostaria de fazer. Feito isso, procure saber se elas são reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC), como a UCDB, que é considerada pelo órgão a melhor universidade privada do estado do Mato Grosso do Sul.

Busque informações sobre o corpo docente, a reputação da instituição e os recursos oferecidos. Uma boa infraestrutura e professores excelentes fazem toda a diferença no aprendizado e, consequentemente, na qualificação profissional.

Como vimos, a qualificação profissional é uma maneira eficiente para conseguir um lugar destaque no mercado de trabalho. Quem se capacita está sempre à frente dos demais em uma carreira de sucesso.

Gostou do nosso post? Conhece alguém que precisa dar um impulso na carreira? Então, compartilhe este post nas suas redes sociais. Assim, você ajuda outras pessoas a darem mais um grande passo rumo ao sucesso profissional!

Graduação em Jornalismo: será que ainda vale a pena fazer?

Neste mundo cada vez mais digital, em que qualquer pessoa pode fazer um vídeo no YouTube para expressar opiniões e escrever textos em blogs ou redes sociais, existem profissões que ficam mais em evidência e despertam a curiosidade dos jovens, como é o caso dos jornalistas. Então, surge a dúvida: ainda vale a pena fazer uma graduação em Jornalismo?

Para quem sonha em cursar o ensino superior nessa área, saiba que o ramo da comunicação, em geral, apresenta muitas possibilidades de atuação e, sem sombra de dúvidas, essa é uma das maiores vantagens. Além disso, é importante destacar que o diploma tem bastante valor no mercado de trabalho. Ainda que não seja mais obrigatório, ter o documento é um diferencial: não é qualquer um que pode chegar na redação e fazer o mesmo trabalho de um jornalista formado.

Por isso, já adiantando, existem diversos benefícios ao fazer a graduação em jornalismo. Se você deseja saber quais são, continue lendo este post!

Como funciona a graduação em Jornalismo?

Durando, em média, quatro anos, o curso de Jornalismo ainda é um dos mais populares nas universidades. Em geral, a grade curricular dessa área abrange disciplinas básicas, como Teorias da Comunicação, Língua Portuguesa e Ética, com uma grande parte dedicada às disciplinas práticas de produção de texto, fotografia, edição, radiojornalismo, webjornalismo, entre outras.

Sendo conhecido como o profissional que passa informações e notícias em diferentes veículos, como televisão, rádio, internet, jornais e revistas, o jornalista, atualmente, tem ainda maiores possibilidades de atuar dentro da área. Todas essas questões são aprendidas ao longo da graduação em Jornalismo, em que o aluno começa a habilidade de desenvolver a linguagem de acordo com cada meio de comunicação.

Nesse contexto, existem os assuntos técnicos que são levantados no curso, como, por exemplo, dicas para entrevistar pessoas, como apurar uma notícia, modos de escrever um texto de forma objetiva e clara para o público-alvo, estruturação de um artigo jornalístico e por aí vai. Com isso, os alunos terminam a graduação com uma ampla bagagem de conhecimento sobre a área.

Isso é possibilitado pela variedade de disciplinas ofertadas, lembrando que existem as obrigatórias e as optativas. Nesse sentido, as matérias mais comuns na graduação de jornalismo, fora as que já citamos anteriormente, são:

  • assessoria de imprensa;
  • antropologia;
  • fotojornalismo;
  • filosofia;
  • jornalismo on-line;
  • jornalismo cultural;
  • radiojornalismo;
  • telejornalismo;
  • apuração jornalística;
  • edição jornalística.

Como está o mercado de trabalho jornalístico?

Na hora de escolher uma graduação, um dos quesitos que mais devem ser bem analisados é o mercado de trabalho na área pretendida. Afinal, além de conseguir trabalhar no ramo em que se formou, é importante conseguir sobreviver nele.

No caso do jornalismo, trata-se de um mercado disputado, mas com grandes possibilidades de atuação, principalmente com o crescimento da comunicação digital. Nota-se uma reestruturação no fazer jornalístico, então muitos profissionais estão migrando para as novas áreas. A necessidade de se informar sempre vai existir, por isso, a importância desse profissional cresce.

Por que cursar Jornalismo?

Caso você esteja pensando em fazer uma graduação em Jornalismo, mas ainda tenha medo de tomar essa decisão, selecionamos alguns benefícios ao optar por esse curso. Confira!

Diversas possibilidades

Como já adiantamos, um jornalista pode atuar em diversos sub-ramos dessa profissão. A área é bastante dinâmica e possibilita que o profissional experimente diferentes possibilidades, como a assessoria de imprensa, comunicação digital, edição, comunicação institucional, reportagem e pauta.

Até mesmo em algumas empresas, é possível fazer a rotação de setores e, com isso, o profissional se torna ainda mais apto para descobrir qual é a sua área favorita para trabalhar no jornalismo.

Networking

Já na universidade, os alunos começam a fazer contato, seja entre si, seja entre professores e profissionais da área. Isso permite que eles construam um bom networking e, com isso, tenham mais chances de conseguir estágios e empregos na profissão. Investir nas relações interpessoais durante a graduação é fundamental.

Acesso à informação

Para saber se o jornalismo é a profissão ideal para você, faça a si mesmo esta pergunta: “Sou uma pessoa curiosa?”. Isso porque a curiosidade e o jornalista devem andar de mãos dadas, já que essa característica possibilita que surjam pautas e redações incríveis.

Nesse sentido, caso você constate que é uma pessoa curiosa, imagine que incrível ter acesso à informação em primeira mão? Essa é a realidade de boa parte dos jornalistas atualmente. Afinal, para dar a notícia, inicialmente esses profissionais devem ter acesso a ela.

Sem rotina de trabalho

Para quem gosta de uma rotina regrada, talvez esta não seja uma boa notícia, mas o jornalista não tem ideia do que pode acontecer no dia seguinte no trabalho. Isso porque cada dia é único, sendo possível ocorrerem diferentes acontecimentos imprevisíveis.

Com isso, surgem novas notícias e, assim, não existe uma rotina de trabalho. Esse fato pode ser bom e ruim, porque, ao mesmo tempo em que praticamente não existe tédio no dia a dia do jornalista, nem sempre ele poderá cumprir alguns compromissos pessoais devido à dinâmica do trabalho.

Dessa forma, ainda vale a pena fazer uma graduação em Jornalismo, caso você tenha noção de que não deve ficar deslumbrado e acreditar que serão tudo flores durante os anos da graduação e após a formação. Afinal, assim como em qualquer profissão, dificuldades vão surgir e fazer o profissional questionar da própria escolha, mas isso não significa que foi uma decisão ruim.

Então, ficou interessado em fazer graduação na área? A UCDB oferece um dos cursos mais tradicionais do Estado e conta com o melhor laboratório de Comunicação do Centro-0este, com ênfase em aulas práticas. Conte para nós na caixa de comentários logo abaixo se este conteúdo ajudou você a entender melhor como funciona essa profissão!

Educação a distância: essa pode ser uma opção para você!

Você já parou para pensar que a educação a distância pode ser uma boa para você? Essa alternativa conta com cada vez mais adeptos jovens, além de um suporte didático que vem evoluindo.

Neste post, você vai ver o que é a educação a distância, como funciona essa modalidade de ensino, quais são suas principais vantagens, como o mercado vê os profissionais EAD e muito mais. Preparado? Então vamos lá!

O que é a educação a distância?

Sabe quando bate aquela dúvida entre entrar em uma universidade ou ir direto em busca de um emprego? Então, é para esses e muitos outros casos que a educação a distância serve. A ideia é levar o conhecimento e a educação das salas de aula para dentro da sua própria casa.

E como isso é feito? A resposta está na tecnologia. Os cursos podem ser consumidos de forma eletrônica com o uso da internet. Essa modalidade é representada pela sigla EAD e a interação entre alunos e professores é feita por meio de plataformas na web.

Tudo isso dentro de um ambiente virtual de aprendizagem que varia de acordo com cada instituição. Costuma dispor de chats de comunicação entre os alunos, materiais para download e bibliotecas virtuais.

Como funciona essa modalidade de ensino?

A entrada em “salas de aula” EAD é feita por meio do login de usuário e senha. As plataformas são customizadas e usadas para a transmissão de aulas, entrega de trabalhos e acesso às notas.

As instituições também contam com plantões de dúvida virtuais para suprir a falta presencial dos professores, assim como calendários de atividades previstas no semestre. Nas bibliotecas virtuais, os materiais são baixados em PDF e usados como fonte de informação pelos alunos.

Algumas instituições também contam com fóruns, nos quais os temas são discutidos de forma paralela. O principal formato para as aulas é o de vídeo — em alguns casos, streaming com dias e horários marcados.

Quais são as principais vantagens?

Os cursos EAD contam com várias vantagens para os graduandos. A seguir, listamos algumas. Veja!

Economia nos custos

O primeiro ponto que chama atenção na graduação a distância são os valores baixos, chegando até a metade do valor dos cursos presenciais. Isso acontece porque esse tipo de ensino conta com muito menos despesas que os presenciais, sem gastos com a manutenção dos espaços.

Gastos com deslocamento, passagens, gasolina e transporte público também estão entre os que podem ser cortados. Afinal, no EAD você estuda de onde quiser, certo? Então, não há necessidade de se deslocar até o campus.

Outra boa economia é com alimentação e materiais. Você pode comer na sua própria casa e os materiais podem ser baixados e consultados pela rede, graças às bibliotecas da instituição.

Flexibilidade

Lembra de quando citamos a dúvida comum em jovens sobre ir em busca de um emprego ou ingressar em uma universidade? Então, a educação a distância permite que as duas coisas sejam feitas ao mesmo tempo.

Isso porque o EAD conta com a flexibilidade. E o que isso significa? Se você abrir um dicionário agora e buscar pelo termo “flexível”, certamente vai encontrar na definição algo como “aceitação às novas circunstâncias”.

O resultado é não só a possibilidade de conciliar o trabalho e os estudos, como também a adaptação a estilos de vida muito distintos. Se você faz viagens regularmente ou tem horários variados, o EAD pode ser uma boa.

Comodidade

Estudar a distância na sua própria casa é mais cômodo. Alguns alunos sentem que a sala de aula é um ambiente desconfortável e conseguem se concentrar com muito mais facilidade dentro da própria casa.

Aqui, o aluno pode assistir às aulas na hora que quiser (com exceção dos conteúdos ao vivo) e no local mais apropriado para ele. Você não vai precisar seguir horários regrados para a maioria das atividades e conta com muito mais liberdade.

A maior parte dos materiais ficam disponíveis de forma integral. Por isso, você pode acessá-los e reacessá-los quando quiser, podendo fazer consultas e voltar nas partes em que ficou com dúvidas.

Aprendizado

O aprendizado na educação a distância é similar ao de cursos presenciais. Isso porque os cursos são igualmente rigorosos, contando com o mesmo planejamento pedagógico e a mesma carga de leitura.

Tudo é planejado para manter o aluno on-line pelo tempo necessário para assimilar as matérias, de acordo com boas formas de apresentação e didática. Você passa a se organizar melhor para ver as aulas e aprender de acordo com o seu próprio ritmo.

A educação a distância ainda estimula o desenvolvimento de um cronograma de estudos mais inteligente. Assim, você encontra os espaços de tempo ideais para estudar, fazendo sentido para você e para as suas prioridades.

Reconhecimento

As instituições EAD também são avaliadas pelo MEC. Os pontos de grade curricular, titulação de professores e infraestrutura são levados em conta na hora de garantir a qualidade do curso.

O diploma é igualmente válido no mercado de trabalho. Por isso, é possível concorrer às mesmas vagas ou participar de concursos de nível superior.

Além disso, a carga horária entre as duas modalidades é a mesma. Isso serve tanto para tecnólogo quanto bacharel. O Enade também conta na avaliação do curso, garantindo que a performance dos alunos está adequada para os padrões de educação.

Contato diversificado

A rede de contatos que a distância traz costuma ser bem diversificada. A falta de barreiras geográficas faz com que o vínculo possa acontecer com pessoas do país inteiro, trazendo as oportunidades mais variadas.

Essa prática de interações costuma ser estimulada entre tutores, professores e colegas. Em algumas instituições, o contato também é feito por e-mail. Nesse caso, os tutores enviam semanalmente aos alunos informações importantes sobre as atividades e as datas das provas.

Diversidade de cursos

O EAD conta com cursos muito diversificados, em nível técnico, graduação e pós-graduação. Por isso, o campo de atuação do graduando no mercado pode ser bem amplo, já que as escolhas são muito diversificadas.

As instituições vêm se interessando cada vez mais pela modalidade e aumentando a oferta de cursos para bacharelado, licenciatura e tecnologia. A estrutura didática pode ser mantida com mais facilidade, já que os custos são muito menores.

Essa vantagem ainda se expressa na liberdade de escolha dos alunos. A razão é geográfica — você não vai precisar se limitar às opções de campus próximas da sua casa ou do seu trabalho.

Como é a educação EAD no Brasil?

A educação a distância no Brasil vem passando por mudanças significativas ao longo dos anos, como você vai ver a seguir. Acompanhe!

História

Nem sempre a educação a distância se fez com o uso de tecnologia. Os primeiros cursos EAD eram por correspondência, quando os alunos recebiam os materiais na própria residência.

Após alguns anos, a apresentação e as aulas dos cursos passaram para a televisão. Os materiais poderiam ser armazenados em DVD e VHS, ou transmitidos ao vivo por meio de emissoras televisivas.

Esse modelo era feito com a parceria entre fundações, instituições de ensino e redes de televisão. O estudo era feito em materiais impressos que acompanhavam as matérias exibidas pelas emissoras.

A internet enriqueceu a forma que esse aprendizado é feito e ainda abriu a possibilidade para uma interação fluida, onde as dúvidas são solucionadas na hora. A variedade de cursos se tornou maior e a possibilidade de fazer download dos materiais mudou a dinâmica de ensino.

Isso é feito no modelo de e-learning. E o que isso significa? Na prática, que o processo de aprendizagem que se baseia majoritariamente no uso da tecnologia de informação e comunicação. Em cursos semipresenciais, esse processo se torna b-learning, numa combinação de práticas pedagógicas para melhorar o desempenho dos alunos.

Expansão

O EAD tem crescido significativamente no Brasil. O motivo é simples — essa dinâmica de ensino pode levar um curso até pessoas que não poderiam acessá-lo de outras formas. A aceitação também acontece no MEC e em programas do governo, como o ProUni, em que bolsas para cursos a distância também são disponibilizadas.

Entre os cursos mais procurados na modalidade estão: Pedagogia, Serviço Social, Administração, Competências Gerenciais, Recursos Humanos, Ciências Contábeis e Letras.

Desses, o curso que conta com mais vagas para estágio é o de Administração.

A maioria das pessoas que se matriculam em cursos a distância investem em licenciaturas, sendo o segundo tipo mais escolhido de formação o bacharelado, seguido pelo tecnológico.

Alguns cursos EAD ocupam a educação informal. Os cursos livres, por exemplo, contam com conteúdo focado no aprendizado de habilidades específicas. Os assuntos são bem variados e oferecem profissionalização rápida para várias áreas no mercado de trabalho.

Perfil do aluno

O aluno de curso a distância tende a valorizar três coisas: liberdade geográfica, autonomia de horários e iniciativa para montar a própria rotina de estudos. Estudar a distância exige uma certa disciplina, e estudantes bem organizados costumam se dar bem nesse tipo de curso.

O fato de a matéria ser virtual não significa que os alunos estão isolados socialmente. Estudantes que criam grupos paralelos e promovem encontros fora do ambiente EAD costumam colher frutos melhores dos cursos.

Alguns graduandos ainda têm mais facilidade para explorar as ferramentas on-line, como plantões de dúvida e aulas extras. Isso faz com que o aproveitamento do curso seja ainda maior.

Hoje, é comum a presença de jovens com problemas para se deslocar até o campus, profissionais que procuram flexibilidade de horários e pessoas mais experientes em busca de se reciclar para evoluir na carreira.

Essa diversificação de perfis tem feito com que o ritmo de crescimento no EAD supere o do ensino presencial. As matrículas são mais frequentes, assim como o número de ofertas de cursos. É provável que, no futuro, alunos ingressem mais em cursos EAD do que em cursos presenciais.

Como o mercado vê quem optou pela educação a distância?

O preconceito com o EAD era similar ao de cursos tecnológicos há alguns anos. Agora, os cursos mantêm uma estrutura muito similar à dos presenciais, contando com avaliações de qualidade semelhantes.

De forma geral, o mercado dá muito mais peso para portfólio e experiência profissional do que para a modalidade do curso superior. O EAD ainda ajuda a desenvolver características que favorecem os estudantes no mercado de trabalho, como disciplina, organização e foco.

Esses pontos fortes podem ser realçados durante uma entrevista de emprego, servindo como um elemento extra para ajudar o candidato a “vender seu peixe”. A recomendação é “instruir” o recrutador sobre como o EAD funciona, para que qualquer possível preconceito seja desfeito.

Procure ficar de olho nos indicadores de qualidade do curso. Eles revelam muito sobre a aceitação da graduação no mercado de trabalho e podem ser importantes na hora de fazer a escolha.

Dos resultados profissionais que você vai ter, boa parte vai depender da forma com que você aproveita o curso e usa o conhecimento para enriquecer o currículo — independentemente de ser presencial ou online. Por isso, aproveite bem o período de estudos e solucione todas as dúvidas que tiver.

O que levar em consideração ao escolher uma instituição de ensino?

Escolher uma instituição de ensino pode exigir uma boa dose de pesquisa e disso depende o alcançar resultados positivos — já que você garante que os anos de sua formação vão ser encaminhados por “boas mãos”.

Credenciamento no MEC

O credenciamento no Ministério da Educação é o que define se o seu diploma é válido ou não. Sem o reconhecimento, o diploma torna-e pouco valorizado no mercado de trabalho e impossibilita prestar concursos públicos.

As avaliações do MEC variam desde insuficientes até positivas, em que são usados dois critérios para análise: o Índice Geral de Cursos e o Conceito Institucional. O IGC é feito a partir de uma média ponderada de todos os cursos.

Já o CI leva em conta a infraestrutura para examinar a qualidade da instituição. Para isso, uma visita é feita, e as instalações físicas são examinadas, assim como as políticas e os projetos.

As notas vão de 1 a 5. Os valores mais baixos são insatisfatórios, enquanto os mais altos são positivos. Os cursos contam com uma avaliação um pouco diferente, na qual se consideram três fatores: o Conceito Preliminar de Curso, Conceito de Curso e resultados do Enade.

O CPC diz respeito ao corpo docente, aos recursos didáticos e ao desempenho dos graduandos. Já o CC decorre da visita às instalações físicas da instituição, onde se leva em conta a infraestrutura. Por fim, o Enade é a prova com que se avalia o desempenho dos alunos e a diferença desde o início do curso até sua conclusão.

Qualidade tecnológica

A qualidade tecnológica é um dos fatores mais importantes na hora de determinar se uma instituição é boa. Isso porque uma boa infraestrutura melhora a experiência de aprendizado e o consumo das aulas.

O primeiro ponto a considerar é a produção dos vídeos e a qualidade dos materiais. Os documentos são bem diagramados? É possível ouvir claramente o que os professores e tutores dizem nos vídeos? Nesse ponto, entrar em contato com ex-alunos pode ser uma boa para conseguir essas respostas.

Uma videoaula não pode ser produzida de qualquer jeito. É preciso contar com professores qualificados, didáticos, uma boa edição e equipamentos de qualidade, como câmeras, microfones, luzes e tudo o que envolve essa produção.

Outro ponto importante a considerar é o streaming para aulas ao vivo. As transmissões são estáveis ou ficam fora do ar com frequência? Os vídeos armazenados são de fácil acesso ou demandam um certo tempo?

Engana-se quem acredita que um curso on-line depende apenas do corpo docente para funcionar. Se a instituição também não contar com um bom suporte técnico, os alunos podem acabar ficando na mão.

Por isso, se certifique de que as plataformas são de boa qualidade. Isso inclui layout, design e disposição de elementos para as aulas. Ambientes virtuais de aprendizagem pouco intuitivos tiram muito da praticidade típica do EAD.

Docentes qualificados

Você já parou para se perguntar sobre quem vão ser os professores que vão ministrar o seu curso? Esse fator diz muito sobre a qualidade de ensino da instituição. Afinal, todas as aulas vão passar pela equipe docente.

De forma geral, um bom número de docentes costuma indicar aulas melhores. Boas instituições também contam com professores que fazem pesquisas e desenvolvem mais que a simples especialização.

Veja sempre a valorização que a instituição dá para o corpo docente — isso se reflete diretamente na qualidade da formação. Você também pode se informar para descobrir se os professores têm trabalhos publicados e pedir a opinião dos seus antigos professores de ensino médio sobre a instituição.

Algumas universidades divulgam listagens mostrando quem são os professores que ministram os cursos e suas qualificações. Garimpe essas informações para ver o que você descobre.

Diferenciais

As instituições de ensino podem oferecer muitas coisas além dos cursos comuns. Os diferenciais trazem novas possibilidades e valorizam ainda mais o curso — por isso é importante dar uma pesquisada.

Veja se há possibilidade de especialização. Ou seja, cursos de pós-graduação que atualizam e capacitam os alunos com conhecimento específico sobre algum tema e emitem o certificado de “especialista”.

Algumas instituições EAD também trazem a possibilidade de intercâmbios. Assim, você pode adquirir novas vivências, entrar em contato com uma nova cultura e, ainda, aperfeiçoar um idioma de forma rápida.

Outros diferenciais são os cursos extracurriculares. Quando bem escolhidos, podem complementar a sua formação, aumentar a quantidade de certificados no seu currículo e aumentar sua empregabilidade no mercado de trabalho.

Por fim, algumas instituições disponibilizam eventos, seminários e palestras on-line. Por meio delas, você pode adquirir um conhecimento que vai além do acadêmico e entender melhor o funcionamento das empresas.

Os assuntos que entram em pauta costumam envolver temas voltados ao mercado de trabalho, assuntos atuais ou matérias de natureza técnica. Algumas palestras também emitem certificados que podem complementar seu currículo.

Como você viu, também é possível encontrar o curso dos sonhos na educação a distância. Essa é uma excelente solução para economizar mais, ganhar liberdade na rotina e ainda solucionar os problemas de deslocamento.

Você acha que EAD é uma coisa recente? Pois os cursos a distância da UCDB já contam com mais de 20 anos de tradição e são credenciados pelo MEC. A biblioteca virtual é vasta e conta com um acervo de mais de 5 mil livros.

E você? Que tal começar sua graduação em parceria com quem realmente tem condições de abrir portas no mercado de trabalho? Então, entre em contato com a gente e conheça!