Engenharia Mecânica UCDB: Educação na Prática

Com os laboratórios de metal-mecânica, mecânica de fluidos, termodinâmica, metrologia, materiais de construção, além da construção do novo laboratório de engenharia automotiva, os alunos de engenharia mecânica da Universidade Católica Dom Bosco podem aplicar na prática tudo aquilo que estão aprendendo nas salas de aula.

O coordenador do curso de Engenharia Mecânica, Fernando Montagnare Barbosa, destaca a importância dos laboratórios na formação dos alunos. “Dentro da engenharia mecânica, a prática é fundamental para o aprendizado”, diz o professor.

Ele destaca como diferencial dos cursos da UCDB os projetos desenvolvidos nos laboratórios, como a Fórmula Universitária (FUN), que incentiva e introduz na pesquisa da engenharia automobilística, a Engenharia Aeronáutica Tuiuiú AeroDesign, que desenvolve aeromodelos radiocontrolados, além das equipes formadas para participar das competições organizadas pela SAE Brasil.

Como resultado, o aluno sai preparado para um mercado de trabalho cada vez mais concorrido. “Na região de Campo Grande, o mercado para a engenharia mecânica é muito escasso, com usinas de álcool e açúcar. Porém, muitos de nossos alunos já foram aprovados em programas de trainee de fábricas de automóveis em outras regiões do país”, conta o professor.

“O curso de engenharia automotiva também teve uma grande procura porque, em época de recessão, esta é uma área que continua contratando. Uma boa formação é essencial para se diferenciar no mercado”, explicou.

Para Fernando, um dos diferenciais que o aluno adquire na prática nos laboratórios é a capacidade de trabalhar em equipe. “As empresas se preocupam muito com isso. É importante um profissional saber lidar bem com os outros profissionais, cumprir prazos e metas. Tudo isso é possibilitado na prática”, diz. “Nos laboratórios, os alunos se dividem como em uma empresa, com gerentes, coordenadores, técnicos e assim por diante”.

No caso do projeto “Fórmula Universitária”, a UCDB recebeu dois carros tipo Fórmula da Confederação Brasileira de Automobilismo. Esses veículos, segundo o professor, foram preparados pelos alunos para correrem no Autódromo Internacional de Campo Grande.

“Na pista surgem problemas que temos que resolver, como numa equipe de corrida. O freio e a suspensão quebram, pneus furam, e assim por diante. Um dos destaques desse projeto foi a criação de um sistema de telemetria, que consegue prever dos boxes o que vai acontecer com o carro na pista”, explicou.

O professor destacou também a construção do novo laboratório de engenharia automotiva, que ocupará um imenso galpão na universidade. “Com o desenvolvimento de tantos projetos, a UCDB decidiu investir na construção desse novo laboratório, que terá espaço para abrigar quatro projetos, além de salas de reuniões, boxes, equipamentos e área de manutenção”.

Comentários