UCDB fecha parceria com concessionária Águas Guariroba

Em uma iniciativa inédita no Brasil, o curso de Engenharia Sanitária e Ambiental da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), coordenado pelo professor Fernando Jorge Correa Magalhães, uniu a academia ao serviço público.

Em uma parceria feita em março deste ano entre a Pró-Reitoria e a concessionária Águas Guariroba, os alunos e a empresa compartilham experiências e pesquisas com o objetivo de melhorar ainda mais o serviço de saneamento da capital de Mato Grosso do Sul.

“A parceria com a Águas Guariroba é importante para os acadêmicos. Comparada com o restante do Brasil, a concessionária apresenta bons indicadores. Para a empresa, a parceria é boa porque lhe dá acesso às mais recentes pesquisas da área”, explicou o coordenador.

Fernando conta que, dessa forma, os alunos têm acesso a problemas reais para resolver, além de abrir portas para a contratação de novos profissionais. “Existe no Brasil uma lacuna muito grande de novos profissionais de saneamento”, pontuou.

Independentemente da parceria, o curso sempre teve um bom relacionamento com a Águas Guariroba, com constantes visitas às estações de tratamento de água e esgoto, além de alunos que trabalham no local.

UCDB e Águas Guariroba e a inovação

A parceria, aliás, já está rendendo frutos. Um deles foi a utilização de resíduos do tratamento de água e esgoto para a produção de material para a construção civil, em forma de tijolo usados na construção de casas.

Fernando analisa que, no Brasil, apenas a Sabesp tem uma parceria semelhante com a USP (Universidade de São Paulo). “O nosso convênio, no entanto, é mais abrangente e envolve diretamente os diretores da empresa, os executivos, os engenheiros e os técnicos operacionais, além da pró-reitoria da UCDB”, destacou.

Para o professor, uma parceria como esta é essencial no momento atual do país, que está em crise. “Os recursos para a pesquisa estão cada vez mais minguados com a crise. É difícil ver uma empresa investir em inovação, como a Águas Guariroba fez. E saneamento básico é um direito fundamental do ser humano”, concluiu o professor.

Comentários