Como funciona o PROUNI?

Olá futuros acadêmicos, respondam rápido: alguém de vocês já ouviu falar no PROUNI? Sabem definir como funciona esse programa? Pois bem, se vocês já ouviram falar, mas não sabem exatamente o que ele proporciona neste país, a gente explica.

O PROUNI é um programa do Ministério da Educação que concede bolsas de estudo integrais e parciais (50%) em instituições privadas de ensino superior, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica a estudantes brasileiros, sem diploma de nível superior.

Para concorrer a uma bolsa, o futuro acadêmico deve participar do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), na edição imediatamente anterior ao processo seletivo do PROUNI, e obter a nota mínima nesse exame, estabelecida pelo MEC.

Pode se inscrever quem tiver as seguintes condições:

– ter cursado o ensino médio completo em escola pública ou em escola privada com bolsa integral da instituição;

– ter cursado o ensino médio parcialmente em escola pública e parcialmente em escola privada com bolsa integral da instituição;

– ser pessoa com deficiência;

– ser professor da rede pública de ensino básico, em efetivo exercício, integrando o quadro permanente da instituição.

Quem seguir os pré-requisitos acima tem grandes chances de se classificar, uma vez que, na inscrição e pré-seleção feita pelo MEC, o estudante escolhe a modalidade de bolsa e até cinco opções de instituições de ensino superior, cursos, habilitações ou turnos dentre os disponíveis, conforme sua renda familiar per capita e sua adequação aos critérios do programa. Depois disso, o sistema do ProUni classifica os estudantes, de acordo com as suas opções e as notas obtidas no Enem.

Vale ressaltar aqui que a nota considerada pelo ProUni é a média aritmética das notas das provas de redação e de conhecimentos gerais do Enem, isto é, a soma das duas notas dividida por dois.

Caso o estudante seja selecionado, vai precisar comparecer às instituições de ensino, de posse dos documentos que comprovem as informações prestadas em sua ficha de inscrição, conforme portaria do MEC que regulamenta cada processo seletivo. Depois, serão encaminhados para eventuais processos seletivos próprios, feitos pelas respectivas instituições. Se aprovados, são inseridos no programa mediante a emissão do correspondente Termo de Concessão de Bolsa.

Um programa bastante rigoroso que implica estudo e dedicação. Portanto, preparem-se!

Comentários