Conheça 7 áreas do Direito que vão além do escritório

Se você está caminhando para o final da graduação em Direito ou pensando em escolher essa carreira tão tradicional, provavelmente já sabe que existem muitas possibilidades de atuação em diferentes sub-ramos dessa profissão, não é mesmo? Então, o questionamento que fica é: como decidir qual das áreas do direito é a mais indicada de acordo com as suas características e metas de vida?

Pensando nisso, elaboramos uma lista com as principais vertentes dessa carreira, que vão além do trabalho no escritório, mais comumente conhecido entre os leigos da profissão. Lembrando, é claro, da necessidade de especializar-se na área pretendida para poder atuar nela. Boa leitura!

1. Carreira acadêmica

Enquanto existem pessoas que, desde cedo, sonham em dar aula ou fazer pesquisa, outras descobrem essa vontade durante a graduação. Independentemente do período de descoberta, seguir uma carreira acadêmica exige comprometimento acentuado do indivíduo em relação aos estudos.

Para ministrar aulas de direito, o profissional precisa, após a graduação, continuar se qualificando por meio do mestrado, que dura em média 2 anos. Além do mais, recomenda-se, também, fazer o doutorado, cujo tempo de duração costuma ser de quatro anos.

Ou seja, é um longo investimento de tempo que dará retorno, no mínimo, seis anos após a conclusão da graduação. Por isso, o profissional precisa estar decidido de que esse é o seu objetivo.

Nesse contexto, revela-se necessário destacar que, na decisão por seguir uma carreira acadêmica, é importante participar de diferentes projetos dentro da faculdade, como a monitoria, iniciação científica, além da publicação de artigos científicos e participação em seminários, congressos e palestras.

2. Diplomacia

Quem não pretende trabalhar como advogado, uma boa opção é iniciar a carreira na diplomacia. Os diplomatas têm a responsabilidade de negociar e representar os interesses do Brasil em relação a outros países. Em geral, essa é uma área bastante concorrida, pois não é uma carreira exclusiva do campo jurídico.

Para atuar nesse ramo, o bacharel em direito deve ser aprovado no concurso do Instituto Rio Branco, que pertence ao Ministério das Relações Exteriores. Após a aprovação, ele inicia um curso preparatório ministrado pelo Instituto para enfim poder exercer a profissão.

Antes de se preparar para o concurso, é importante que o profissional domine muitos idiomas. Além disso, seja organizado, disciplinado e tenha alta capacidade argumentativa, que são características essenciais para um bom diplomata.

3. Delegacia

Para atuar como delegado, no Brasil, é necessário ser bacharel em Direito e prestar um concurso para o cargo. Assim, o profissional pode trabalhar tanto na Delegacia de Polícia estadual quanto federal, cuja função é liderar as investigações criminais.

O delegado coordena a preparação de inquéritos, é responsável pela emissão de documentos públicos relacionados ao processo e pela chefia das investigações policiais, com uma carga de responsabilidade enorme.

Ao passar no concurso, o futuro delegado deve fazer um preparatório que é ministrado pela própria polícia. Enfim, esse profissional deve ter muita autoconfiança, autocontrole e um senso de justiça bastante acurado.

4. Direito ambiental

O advogado ambientalista pode ter diversas funções, como a participação em processos judiciais criminais e civis relacionados à legislação ambiental, acompanhamento de processos administrativos de infrações e licenciamentos ambientais. Nesse contexto, o profissional pode trabalhar em ONGs, órgãos públicos, empresas privadas das quais o foco é a responsabilidade ambiental.

Para atuar nesse ramo, é recomendado fazer uma pós-graduação em direito ambiental. Assim, o indivíduo adquire maior conhecimento sobre o assunto, faz networking e ainda se torna mais apto para trabalhar na profissão.

5. Judiciário

Inegavelmente, o judiciário é uma das áreas do direito mais desejadas pelos bacharéis. O juiz federal é um dos mais bem pagos no Direito, em que o salário inicial é de R$23 mil. Portanto, isso faz o cargo ser ainda mais concorrido.

Além da alta competitividade na magistratura, há também um alto nível de responsabilidade. Com isso, o profissional é encarregado de diversos deveres, como:

  • julgar demandas judiciais;
  • expedir mandados de prisão, busca e apreensão, entre outros;
  • priorizar solução rápida relacionada aos conflitos entre as pessoas;
  • prevenir e reprimir ações que são contrárias à dignidade humana;
  • decidir qual das partes cumpriu a lei e qual é a culpabilidade dos envolvidos.

Para conseguir atuar nessa área, os profissionais devem ser bacharéis em Direito e aprovados em concurso específico, que envolve provas e títulos. Por isso, ter um nível acadêmico maior que apenas uma graduação é fundamental para alcançar um bom resultado.

Além disso, revela-se necessário ter experiência mínima comprovada de 3 anos. Logo, essa não é uma carreira fácil para entrar nem para permanecer. Então, estar certo do objetivo profissional ameniza as dores dessa longa caminhada.

6. Promotoria

Ainda em relação aos cargos públicos, existe a promotoria. Nesse sentido, os promotores defendem os interesses da sociedade e do Estado, atuando pelo Ministério Público. Em geral, esses profissionais fiscalizam o cumprimento de leis e promovem ações diante do juiz.

Além disso, defendem uma grande variedade de casos, como direitos da criança, pessoas com deficiência, patrimônio histórico e cultura, defesa do meio ambiente e outras causas sociais.

Para entrar nessa profissão, é necessário prestar um concurso público de provas e títulos. Nessa carreira, habilidades como boa escrita e oratória são primordiais.

7. Direito Penal

Considerado um dos ramos mais populares, o direito penal envolve a manutenção da ordem e da paz social. Por isso, está ligado ao regulamento e estabelecimento de penas para pessoas acusadas de cometerem crimes e contravenções que afetam alguns indivíduos ou a sociedade como um todo.

No dia a dia da profissão, o advogado pode preparar tanto a acusação quanto a defesa de pessoas físicas ou jurídicas envolvidas no processo. Dessa forma, para quem se interessa por questões relacionadas a crimes e contravenções, especializar-se em direito penal é o caminho certo para seguir na carreira como advogado.

Como foi possível perceber, independentemente da escolha de uma entre as áreas do direito citadas neste artigo, é necessário não se contentar somente com a graduação. Dessa forma, continuar estudando, por meio de uma especialização, MBA, mestrado, doutorado e/ou pós-doutorado, é um passo primordial para atingir o objetivo profissional.

O curso de Direito mais tradicional de Mato Grosso do Sul é o da UCDB, com mais de 50 anos de história. Conheça e ingresse na graduação que forma os melhores profissionais.

Este post ajudou você na decisão de qual ramo do direito seguir após a formação? Que tal compartilhá-lo em suas redes sociais? Assim, este conhecimento deixa de ser limitado e ainda é possível ajudar alguém que esteja em dúvida!

Comentários