Saiba como não errar mais na crase

A língua portuguesa não é das mais simples para se aprender. Mesmo para nós, que temos o português como língua nativa, as dúvidas são frequentes na hora de escrever e falar. Ter um bom Português, apesar de ser uma característica fundamental para todos que falam o idioma, é importante para quem está em fase de estudar para o vestibular. E falando sobre as dúvidas que geralmente surgem nos estudos para o vestibular, você sabe bem como marcar a ocorrência de crase?  Confira!

A crase, em que  usamos o acento grave, é uma fusão da preposição “a” com outro “a”, na maioria das vezes, o artigo “a”, que acompanha palavra feminina. Fica aqui uma dica:  a crase geralmente ocorre antes de palavras femininas. A crase também pode estar relacionada a pronomes demonstrativos, que podem ser “a”, “as”, também “aquele”, “aquela” ou “aquilo”. (Vou a  +  aquele sítio.  Vou àquele sítio.  Assistimos a + aquele filme = Assistimos àquele filme).

Existem alguns caminhos que podem ajudar na hora em que a dúvida surgir. Veja a seguir umas dicas para nunca mais errar!

Pintou dúvida sobre o uso da crase? 

Se você não tem certeza se existe ou não crase numa frase, mude a palavra que está depois do “a” para o masculino. Se o “a” virar “ao”… ôpa! então ocorre crase!

Exemplo: “Estou indo a padaria” ( para verificar se há crase, mudo “padaria” por “shopping”) Ficaria:  “Estou indo ao shopping”. (Epa! Então deu “ao”!)

Portanto, nesse caso, o “a” antes de padaria é com acento grave: Estou indo à padaria.

Por quê? Porque há o “a” – exigido pelo verbo ir (ir a algum lugar)  +  outro “a” – que  acompanha “padaria” – a padaria.

Então a + a = à ( usamos só uma letra” a”, e a outra representamos  pelo acento. Simples assim!)

Sempre com crase

Expressões muito usuais, como “às 5 horas” ou “às vezes…” e até mesmo “à moda”, todos esses “a”s são escritos com acento grave. Outros exemplos: “à frente ”, “às pressas”, “à medida que”, “à disposição de” e mais alguns outros casos.  Observe que são expressões femininas.

A expressão feminina “à moda de”,  às vezes, pode não estar claramente escrita na frase.

Veja bem. Dizemos: Ela fez um jantar à moda de Alex Atala.

Às vezes, omitimos “ moda de“, mas mantemos o à. Ela fez um jantar à Alex atala. Pode parecer estranho, porque temos um termo masculino após esse “à” ( mas lembre que “moda de” está subentendido!)

Nesses casos, tanto faz

Existem situações em que a crase é opcional – ou seja, podemos  usar, ou não, o acento grave.

Isso ocorre antes de nomes próprios, antes de pronomes possessivos femininos, como “minha”, “tua”, “sua”, “nossa” etc. Mas por que é opcional?

Porque opcional, nesse caso,  é usar o artigo “a”.

Já vimos que o verbo ir pede a preposição “a”. Ir a algum lugar.

Ele foi à sua festa ontem?   ( aqui temos dois “as”)  a+ a = à

ou: Ele foi a sua festa ontem?

Nesse segundo exemplo, não usamos o “a” artigo, porque já temos o “sua”, que especifica a palavra festa. Veja bem: Podemos dizer  “a sua festa”, ou simplesmente “sua festa”. Descartamos aqui o artigo “a”. ( então não temos a+a)!

Simplificando: só ocorre crase, se existe  a + a.

Se há duas vezes a mesma letra (a), vamos usar só uma e a outra será representada pelo acento grave.

E se você não tem mais dúvidas na crase, também não fique em dúvida na hora de escolher a sua faculdade. Já conhece a UCDB?

 

Comentários

Cadastre-se

Futuro Acadêmico, cadastre-se para receber as últimas novidades e dicas sobre o vestibular, ENEM, provas e muito mais!
Secure and Spam free...