Figuras de Palavras

Vamos falar um pouco sobre recurso de expressão? É um recurso valioso que temos para dar uma grande expressividade ao texto.

São aqueles meios que o escritor utiliza para ampliar o significado de um texto ou também para suprir a falta de termos adequados em uma frase. É o lançar mão de certas palavras para atingir um efeito expressivo na frase.

E hoje vamos falar sobre três desses recursos que fazem diferença em nosso dia a dia, quando então  usamos as chamada figuras de palavras.

Mais conhecidas como metáfora, metonímia e perífrase, elas são figuras de linguagem muito usadas e estudadas durante o Ensino Médio e o cursinho. Papel e caneta em mãos, e vamos às regras para não confundir mais:

Metáfora: É a comparação de termos, ou seja, uma palavra substitui a outra por conta da semelhança que há entre elas.. Essa semelhança é resultado da imaginação, que pode ser entendida como uma comparação abreviada, em que o comparativo esteja subentendido na frase. Ou seja, o efeito se dá pelo jogo de palavras que se faz na frase.

“Estou sempre dando murro em ponta de faca.”

“Seus olhos são como luzes brilhantes.”

Metonímia: É a troca de uma palavra por outra ( o nome pela coisa a expressar), estando ambas sempre relacionadas. Há metonímia, por exemplo,  quando se emprega:

  • O efeito pela causa:

“Os aviões semeavam a morte.”

(A palavra “morte” substitui “bomba”, traduzindo a ideia de “Bombas mortíferas”. As bombas são a causa, e a morte, o efeito.)

  • O autor pela obra:

“Nas horas de folga lia Camões.”

( Camões,  o nome do autor, é a palavra usada para substituir o termo “obra”.)

  • O instrumento pela pessoa que utiliza:

“Ele é um bom garfo.”

(A palavra “garfo”, nesse caso, traduz a ideia do adjetivo  “comilão; comedor”.)

  • O sinal pela coisa significada:

“O trono estava abalado.”

(A palavra trono é usada para significar  império.)

  • O lugar pelos seus habitantes:

“A América reagiu e combateu.”

(A palavra América é usada em substituição à palavra  “povo”, traduzindo todos os  que vivem lá.)

  • A parte pelo todo:

“Não tinha teto aquele jovem.” ( Teto aqui representa a palavra  casa.)

  • O indivíduo pela espécie ou classe:

“Luta-se pelo direito da mulher.”  ( A mulher, termo que representa uma classe.)

  • A matéria pelo objeto:

“O tinir dos cristais”  ( Os cristais é um termo referente a copos.)

Perífrase: É uma expressão que designa os seres através de algum de seus atributos, ou de um fato que os celebrizou.

“O rei dos animais foi generoso.”  (A expressão  rei dos animais significa “leão”.)

“Os urbanistas tornarão ainda mais bela a Cidade Maravilhosa”. ( o nome Rio de Janeiro é substituído pela expressão Cidade Maravilhosa) .

Simples, não é?

Por isso é que falamos de  expressões que têm um sentido conotativo nos textos, e não traduzem o real sentido da palavra. Não denotam o significado específico da palavra, mas, sim, um sentido figurado. Figurado! Por isso é que falamos ‘figuras” de linguagem!

Daí, temos:  Figuras. Denotação. Conotação

Pois é! Rica de recursos nossa língua, não é? Fique ligado e perceba o quanto lançamos mão desses recursos! Só não paramos pra pensar que isso também é assunto de gramática!

Comentários

Cadastre-se

Futuro Acadêmico, cadastre-se para receber as últimas novidades e dicas sobre o vestibular, ENEM, provas e muito mais!
Secure and Spam free...